PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

FBI abriu 160 casos relativos à invasão do Capitólio e recebeu mais de mil pistas

Foi aberto ainda um procedimento específico para ameaças à imprensa, que foi um alvo constante

18:14 | 12/01/2021
A polícia de choque repele uma multidão de apoiadores do presidente dos EUA, Donald Trump, depois que eles invadiram o prédio do Capitólio em 6 de janeiro de 2021 em Washington, DC (Foto: ROBERTO SCHMIDT / AFP)
A polícia de choque repele uma multidão de apoiadores do presidente dos EUA, Donald Trump, depois que eles invadiram o prédio do Capitólio em 6 de janeiro de 2021 em Washington, DC (Foto: ROBERTO SCHMIDT / AFP)

O FBI abriu mais de 160 casos relativos à invasão do Capitólio na última semana, e recebeu pelo menos mil pistas relativas aos participantes, afirmou o líder do escritório de Washington, Steven D'Antuono. Em coletiva de imprensa, o investigador afirmou que os participantes dos distúrbios "serão presos".

Segundo D'Antuono, indivíduos nas semanas anteriores foram monitorados expressando a intenção de causar problemas na capital, e as informações que o FBI detinha foram compartilhadas com polícia do Capitólio e parceiros. No entanto, não havia elementos específicos que permitissem a abertura de uma investigação.

Representando o Departamento de Justiça, o procurador do distrito de Columbia Michael Sherwin afirmou que há legislação no país para punir bombas em diretórios de partidos além de terrorismo, após ser questionado sobre o enquadramento dos explosivos encontrados nas representações de democratas e republicanos.

Segundo Sherwin, havia elementos que demonstravam a intenção de detonação, mas a legislação federal permite uma punição além do enquadramento como terrorismo doméstico. O procurador afirmou ainda que foi aberto um procedimento específico para ameaças à imprensa, que foi um alvo constante.