PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

OMS diz que Papai Noel poderá distribuir presentes pois é "imune" ao coronavírus

A epidemiologista Maria van Kerkhove tentou acalmar as crianças que questionaram como o Papai Noel irá entregar os presentes, já que o personagem é idoso

07:25 | 16/12/2020
A epidemiologista acalma as crianças que se preocupam com a saúde do Papai Noel. Segundo ela, ele é "imune" e poderá viajar os países como quiser para distribuir seus presentes.  (Foto: Aurelio Alves/ O POVO)
A epidemiologista acalma as crianças que se preocupam com a saúde do Papai Noel. Segundo ela, ele é "imune" e poderá viajar os países como quiser para distribuir seus presentes. (Foto: Aurelio Alves/ O POVO)

A epidemiologista da Organização Mundial da Saúde (OMS), Maria Van Kerkhove, acalmou quem estava preocupado se o Papai Noel iria distribuir presentes na madrugada do dia 25 de dezembro. “Compreendo a preocupação sobre o Papai Noel, porque ele é idoso” e potencialmente faz parte de uma faixa etária com mais riscos para desenvolver a Covid-19, doença causada pelo coronavírus.

Em seguida, Maria explicou que teve uma breve reunião com o Papai Noel. “Posso dizer que Papai Noel é imune a este vírus", afirmou. "Ele está bem e sua esposa também está bem e estão muito ocupados atualmente", disse a pesquisadora em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira, 14.

Além disso, a epidemiologista responsável por supervisionar a gestão da pandemia na OMS também disse que as restrições de entrada e saída de alguns países não afetará o trabalho de Noel. “Ele poderá entrar e sair do espaço aéreo como quiser e distribuir seus presentes", brincou.

A epidemiologista também usou o espaço para relembrar as recomendações de prevenção contra o vírus. “É muito importante que todas as crianças do mundo compreendam que a distância física com o Papai Noel e eles deve ser estritamente respeitada", frisou.

Segundo ela, as crianças devem "ir para a cama cedo na véspera de Natal, mas o Papai Noel poderá viajar por todo o mundo para entregar seus presentes", concluiu a especialista.