PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Armênios incendeiam suas casas em região que será devolvida ao Azerbaijão

22:35 | 14/11/2020

Ainda vestindo roupas de camuflagem nas quais lutou contra as forças do Azerbaijão uma semana antes, Arsen, de etnia armênia, acendeu uma fogueira debaixo da mesa de jantar da sua irmã na pequena vila de Charektar neste sábado, 14. Os habitantes dos vilarejos de Nagorno Karabakh incendiaram suas casas antes de fugirem para a Armênia e antes de o Azerbaijão retomar o controle de alguns territórios na província, o que vai ocorrer neste domingo (15).

Enquanto as chamas ganhavam força com a ajuda de tiras de papelão, Arsen usou uma cadeira de madeira para quebrar as janelas da casa térrea e lençóis para espalhar o fogo, que logo consumiu toda a moradia. "Eles já estarão aqui amanhã de manhã. Eles que se danem. Que morem aqui, se conseguirem", disse, enquanto o fogo aumentava.

"É o último dia. Amanhã, os soldados azerbaijanos estarão aqui", declarou um soldado do povoado de Charektar, na região de Kalbakhar, que deve ser cedida a Baku. Aninhada nas montanhas, Charektar é uma pequena vila em Kalbajar, distrito do Azerbaijão, que faz fronteira com Nagorno Karabakh. É internacionalmente reconhecida como parte do Azerbaijão, mas tem sido controlada por armênios desde o fim da guerra de Nagorno Karabakh, nos anos 1990.

Acordo de paz

Um acordo de paz assinado entre Armênia e Azerbaijão, negociado pela Rússia, pôs fim a sete semanas de intensos combates na autoproclamada república de Nagorno Karabakh, um enclave montanhoso disputado por décadas entre esses dois países do Cáucaso.

Com este pacto, Baku reconquista amplos territórios que estavam sob controle armênio desde o início dos anos 1990, quando a região se separou do Azerbaijão. Este movimento causou uma guerra que deixou 30 mil mortos.

Na manhã deste sábado, pelo menos seis casas estavam em chamas na cidade de Charektar. Esta localidade marca o limite com o distrito vizinho de Martakert, que permanecerá sob controle armênio. "É minha casa, não posso deixá-la para os turcos", afirmou o proprietário de uma destas casas, já totalmente vazia, enquanto jogava tábuas de madeira em chamas e gasolina para tentar queimar o parquê de sua antiga sala de estar. "Turcos" é uma expressão frequentemente usada pelos armênios para se referirem aos azerbaijanos.

"Todo mundo vai queimar suas casas hoje. Eles nos deram até meia-noite para partir", acrescentou. "Também removemos o túmulo dos nossos pais. Os azerbaijanos vão adorar profanar nossos túmulos, é insuportável", disse ele com raiva, antes de entrar no carro. Na véspera, pelo menos dez casas foram incendiadas nesta mesma localidade e seus arredores. (Com agências internacionais).