PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Manifestação "anti-máscaras" termina com distúrbios na Alemanha

As forças de segurança, que destacaram um grande número de agentes anti-motins, disseram que fizeram "prisões", sem especificar o número exato de pessoas presas

19:46 | 07/11/2020
Polícia alemã se choca com manifestantes que participam de uma manifestação convocada pela iniciativa "Querdenken" contra as atuais medidas do governo alemão para conter a disseminação do novo coronavírus  (Foto: SEBASTIAN KAHNERT / AFP)
Polícia alemã se choca com manifestantes que participam de uma manifestação convocada pela iniciativa "Querdenken" contra as atuais medidas do governo alemão para conter a disseminação do novo coronavírus (Foto: SEBASTIAN KAHNERT / AFP)

Uma manifestação de cerca de 20.000 "anti-máscaras" em Leipzig (leste da Alemanha) na noite deste sábado, 7, levou a confrontos entre os manifestantes e a polícia, que pouco antes havia ordenado a dissolução deste protesto contra as restrições do Covid-19.

As forças de segurança, que destacaram um grande número de agentes anti-motins, disseram que fizeram "prisões", sem especificar o número exato de pessoas presas.

Também explicaram que houve "inúmeros ataques contra a polícia", por exemplo, com o lançamento de objetos e rojões. De acordo com esta mesma fonte, alguns manifestantes também tentaram ultrapassar o cordão policial perto da estação ferroviária de Leipzig.

Durante a tarde, a polícia pediu a dissolução da manifestação já que a maioria dos concentrados não respeitou as medidas sanitárias, como o uso de máscaras ou distâncias de segurança. As autoridades municipais de Leipzig já haviam decidido dissolver a concentração, justificando sua decisão por "violações das condições" para autorizar a realização desta manifestação.

De acordo com imagens da rede alemã n-tv, por volta das 17 horas a maioria dos participantes ainda se encontrava nas proximidades da praça onde se conheceram desde as 13 horas, mesmo após o anúncio da decisão. Os organizadores, um grupo heterogêneo de oponentes das medidas contra a pandemia de Covid-19, contabilizaram 20.000 participantes. (AFP)