PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

EUA: Estados que pagaram benefício a desempregado acima do devido pedem reembolso

12:56 | 05/10/2020

Alguns Estados americanos pagaram valores acima do devido a milhares de trabalhadores no auge da crise provocada pelo coronavírus. Agora, eles querem o dinheiro de volta. Embora os recursos já tenham sido gastos há muito tempo, várias pessoas estão recebendo solicitação de reembolso de Estados estão sendo solicitadas ou estão tendo seus benefícios atuais cortados para compensar a diferença. Os beneficiários geralmente não sabem que ganharam mais do que deveriam, por conta da dificuldade em fazer os cálculos. Para muitos trabalhadores, o valor alto era para compensar semanas em que ficaram sem receber.

Autumn Stull é dona de uma loja de consignação para maternidade e crianças em Golden, Colorado. Ela fechou temporariamente em março, quando o Estado decretou quarentena obrigatória, e se inscreveu para benefícios por meio do programa de Assistência ao Desemprego de Pandemia, que permite que indivíduos autônomos recebam auxílio. Autumn retomou as operações em maio com hora marcada e voltou a abrir totalmente a loja após um processo gradual que começou no final de junho.

Os cheques semanais ajudaram a dona da loja a pagar despesas como aluguel e seguro comercial. Seu cheque foi reduzido no início de setembro, de US$ 618 por semana para US$ 223, e ela descobriu um aviso em sua conta dizendo que havia recebido um pagamento a mais e agora devia US$ 8.972 ao Colorado.

"Seu coração pula uma batida. Seu estômago afunda. Seus olhos ficam marejados", disse ela sobre a leitura do aviso. "O dinheiro acabou. Usei-o. Já passamos por bastante", completa.

Vice-diretora executiva do Departamento de Trabalho e Emprego do Colorado, Cher Haavind diz que muitos pagamentos indevidos resultaram de trabalhadores relatando incorretamente seus ganhos. Ela não respondeu às perguntas de acompanhamento sobre supostos erros de Estado.

Na Pensilvânia, milhares de trabalhadores foram pagos a mais por causa de um erro de cálculo no software que o fornecedor Geographic Solutions forneceu para o sistema de benefícios de desemprego do Estado. Paul Toomey, presidente da Geographic Solutions, diz que a empresa corrigiu o erro imediatamente. Depois que o Estado descobriu o problema, começou a cortar alguns cheques de benefícios pela metade, explica Julia Simon-Mishel, uma advogada da Assistência Jurídica da Filadélfia que tem ajudado trabalhadores com pedidos de seguro desemprego.

Em Ohio, milhares de trabalhadores receberam a mais por meio do sistema regular de seguro-desemprego, revela Michelle Wrona Fox, advogada da Community Legal Aid Services em Youngstown. Para alguns dos clientes de Fox, o Estado está reduzindo seus benefícios restantes pela metade para recuperar seu dinheiro.

"Estou vendo pânico total", diz ela. Muitos dos clientes de Fox esperaram de dois a três meses para obter os benefícios, ela diz, e alguns estão enfrentando o despejo. "Eles estão em apuros", acrescenta.

Um porta-voz do Departamento de Serviços de Emprego e Família de Ohio disse que cerca de 20% dos requerentes do benefício, ou 108 mil pessoas, receberam salários maiores do que o devido em 31 de agosto devido a uma combinação de erros da agência e dos requerentes, mas acrescenta que a maioria dos erros surgiu de indivíduos que não reivindicaram os rendimentos que ganharam nas semanas em que também receberam benefícios. Fonte: Dow Jones Newswires.