PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Após incêndio, União Europeia financia translado de 400 crianças de campo de refugiados em Lesbos, na Grécia

Uma operação de resgate em larga escala foi realizada no maior acampamento de refugiados da Grécia, onde vivem mais de 12.000 migrantes. O local foi devastado por um grande incêndio

08:06 | 09/09/2020
Crianças sentam-se no campo queimado de Moria na ilha de Lesbos depois que um grande incêndio estourou, em 9 de setembro de 2020 (Foto: AFP)
Crianças sentam-se no campo queimado de Moria na ilha de Lesbos depois que um grande incêndio estourou, em 9 de setembro de 2020 (Foto: AFP)

A Comissão Europeia anunciou, nesta quarta-feira, 9, que assumiu a transferência imediata para a Grécia Continental de 400 crianças e adolescentes do acampamento de refugiados de Moria, na ilha grega de Lesbos, devastada por um incêndio.

 

"Deixar todos seguros e protegidos em Moria é uma prioridade", disse a comissária de Assuntos Internos da União Europeia (UE), Ylva Johansson, no Twitter, acrescentando que estava em contato com as autoridades gregas.

 

Uma operação de resgate em larga escala foi realizada no maior acampamento de refugiados da Grécia, onde vivem mais de 12.000 migrantes. O local foi devastado por um grande incêndio.

 

"Já dei minha autorização para financiar o transporte imediato e a hospedagem no continente para as 400 crianças e adolescentes desacompanhados que permanecem" no local, acrescentou Johansson.

 

Também pelo Twitter, a vice-presidente do Executivo europeu, o grego Margaritis Schinas, disse ter informado ao primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, que a Comissão Europeia está pronta para ajudar o país.

 

A situação no campo de Moria destaca a urgência de se reformar a política de migração na UE, que durante anos se deparou com divisões europeias.

 

A Comissão Europeia pretende apresentar sua proposta - já rejeitada em várias ocasiões - de um "novo Pacto sobre Migração e Asilo" no final do mês.

 

O Executivo europeu também coordenou, durante vários meses, um programa de realocação em dez países da UE de cerca de 2.000 menores desacompanhados que chegaram a acampamentos de refugiados na Grécia.

 

Até agora, apenas cerca de 640 pessoas (crianças, adolescentes e famílias com crianças doentes) foram transferidas e distribuídas entre sete países: Bélgica, França, Luxemburgo, Alemanha, Irlanda, Portugal, Finlândia.