PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Equipe de resgate detecta sinal de vida em escombros da explosão em Beirute

Sinal pulsante detectado sob os escombros da explosão pode ser de uma criança, segundo afirma a equipe chilena que trabalha no resgate

Ismia Kariny
11:42 | 04/09/2020
Bolsonaro acompanha embarque de missão brasileira a Beirute (Foto: )
Bolsonaro acompanha embarque de missão brasileira a Beirute (Foto: )

 

Equipe de resgate detecta sinal pulsante sob os escombros de um prédio em Beirute, que desabou durante a explosão do porto na capital libanesa, no último mês de agosto. A atuação da equipe chilena no local, onde antes funcionava um bar, começou após o cão farejador detectar algo sob os destroços do prédio. A equipe, então, utilizou o equipamento de detecção de áudio para sinais ou batimentos cardíacos e encontrou um pulso de 18 ciclos respiratórios por minuto. As informações são do portal de notícias Al Jazeera.

À reportagem, um membro da equipe de resgate chilena afirmou que o sinal pulsante detectado sob os escombros da explosão pode ser de uma criança, e acrescentou que a equipe também constatou a presença de pelo menos um corpo. "Estamos tentando manter as esperanças baixas. Se alguém for encontrado, será um milagre", disse Edwar Bitar, membro da ONG Live Love Lebanon que trabalha no Líbano.

Os socorristas chilenos e libaneses revistam os escombros do prédio, retirando destroços e orientando a população para se afastar e manter silêncio, atentos aos possíveis sinais de vida sob o prédio. Em outra tentativa, foi detectado um pulso de 7 ciclos respiratórios. O correspondente da Al Jazeera, Timour Azhari, registrou em vídeo o momento em que a equipe trabalha no local. A rua foi uma das mais atingidas na explosão de 4 de agosto.

Na quinta-feira, 3, o exército libanês anunciou que encontrou 4,35 toneladas de nitrato de amônio perto da entrada do porto de Beirute. A explosão de 4 de agosto matou cerca de 190 pessoas e deixou 6,5 mil feridos. O governo do Libano estima que os prejuízos cheguem a US$ 15 bilhões.

Traduzido por Ismia Kariny