PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

BCE: apoios fiscal e monetário na Europa devem ser temporários

15:03 | 02/09/2020
Integrante do Banco Central Europeu (BCE) e presidente do Bundesbank, o banco central da Alemanha, Jens Weidmann defendeu nesta quarta-feira, 2, que os apoios fiscal e monetário concedidos à economia europeia para o enfrentamento da crise do coronavírus devem ser temporários. O dirigente afirmou que há efeitos colaterais em algumas ferramentas utilizadas pelo BCE para manter a política monetária altamente acomodatícia, como as compras de ativos (QE, na sigla em inglês).
Justamente por conta dos desdobramentos indesejáveis, diz Weidmann, os estímulos não podem ser mantidos para além do tempo necessário. "A dívida pública alta pode aumentar a pressão sobre os BCs para que mantenham os juros baixos por mais tempo que necessário", alertou, em evento virtual do Übersee-Club Hamburgo.
Para evitar essas pressões, Weidmann instou aos banqueiros centrais que se guiem pelos indicadores econômicos para tomar decisões. "Política monetária deve ser claramente orientada para estabilidade de preços. Se perspectiva para inflação exigir, política monetária deve ser normalizada", acrescentou o dirigente do BCE e presidente do Bundesbank.