PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Nancy Pelosi convoca sessão para discutir lei sobre Serviço Postal dos EUA

21:01 | 16/08/2020
A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, convocou sessão extraordinária da Casa - que está em recesso neste mês de agosto - para discutir a elaboração de um projeto de lei proibindo o Serviço Postal do país (USPS, na sigla em inglês) de realizar mudanças operacionais neste ano. O projeto vem em meio a denúncias que o governo do presidente Donald Trump está deliberadamente prejudicando a agência para evitar um aumento de votos via carta nas eleições presidenciais de novembro.
"Em tempos de pandemia, o Serviço Postal é a central das eleições. Americanos não precisam ter que escolher entre sua saúde e o direito ao voto", escreveu Pelosi, em carta enviada aos congressistas do Partido Democrata. Steny Hoyer, líder da maioria democrata na Casa, deve discutir a pauta nesta segunda-feira e fontes informam a Associated Press que a sessão deve acontecer no próximo sábado, 22.
Mais cedo, a USPS anunciou a suspensão de retirada e remanejamento das caixas postais por 90 dias, enquanto a agência "avalia os desejos dos nossos clientes". Louis DeJoy, diretor do Serviço Postal, é aliado de Trump e assumiu a agência com a promessa de torná-la mais eficiente. Ele aumentou o escrutínio sobre as operações da empresa, aumentou restrições sobre traslados e reduziu a quantidade de postos de processamento de cartas.
Um comitê da Câmara dos Representantes convocou os diretores do Serviço Postal do país para responder questionamentos dos deputados sobre possível interferência do governo de Donald Trump sobre a agência, após denúncias durante a última semana de que a Casa Branca está coordenando um desmonte do serviço em ano de eleições, com os Estados expandindo as opções de voto via carta por conta da pandemia do novo coronavírus.
"O diretor do USPS e a liderança do serviço precisam prestar contas ao Congresso e ao povo americano sobre a razão de estarem realizando essas mudanças operacionais que ameaçam silenciar a voz de milhões de eleitores meses antes do pleito", escreveu o partido Democrata, de oposição, em comunicado anunciando a convocação.