PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Fóssil de espécie de dinossauro até então desconhecida é encontrado em ilha britânica

O estudo indica que a o animal viveu no período Cretáceo, cerca de 115 milhões de anos atrás, e a estimativa é que ele teria até 4 metros de comprimento

17:11 | 13/08/2020
Imagem dos dois ossos (Foto:  University of Southampton)
Imagem dos dois ossos (Foto: University of Southampton)

Na praia Shanklin, na Ilha de Wight (Inglaterra), foram descobertos quatro ossos, no ano passado,  entregues ao Museu dos Dinossauros na ilha, em Sandown. Paleontologistas da Universidade de Southampton realizaram um estudo, que indicou que os ossos pertencem a uma espécie de dinossauro chamada terópode, ou seja, bípede, podendo ser carnívoro ou omnívoro. A espécie descoberta foi batizada de Vectaerovenator inopinatus, e pertence ao grupo que inclui o Tyrannosaurus rex.

O estudo indica que a o animal viveu no período Cretáceo, cerca de 115 milhões de anos atrás, e a estimativa é que ele teria até 4 metros de comprimento. Os ossos faziam parte do pescoço, costas e cauda do animal, e, em alguns desses ossos, há um grande espaço de armazenamento de ar, que ajudaram os cientistas a associarem sua espécie com os terópodes. Também visto em aves modernas, esses espaços eram extensões do pulmão, possivelmente, com o objetivo de alimentar um sistema respiratório eficiente e tornar o esqueleto mais leve.

Os fósseis foram descobertos em 2019, separadamente. Foram feitas três descobertas, duas por uma pessoa, e uma por um grupo familiar. Pela localização, o tempo em que foi achado, e o estudo científico confirmou a alta probabilidade de pertenceram a mesma espécie. Robin Ward e sua família, assim como James Lockyer e Paul Farrell deram depoimentos à mídias internacionais sobre como descobriram os ossos, que trouxe uma surpresa a todos que encontraram.

As descobertas serão publicadas na revista Papers of Palaenontology. Chris Barker, aluno de doutorado da Universidade, que conduziu o estudo, afirmou em nota que a estrutura oca do animal surpreendeu os cientistas. Ele afirma que parte de seu esqueleto deve ter sido bastante delicada, e o registro de dinossauros terópodes do período médio do Cretáceo não é tão grande. Ele afirmou ser emocionante poder aumentar a compreensão da diversidade de espécies de dinossauros dessa época. Os cientistas afirmam que é provável que o dinossauro tenha vivido em uma área ao norte de onde os seus restos foram encontrados, e a carcaça foi levada ao mar raso próximo.

O pesquisador afirmou em nota que, mesmo tendo um material suficiente para determinar o tipo do dinossauro, gostariam de encontrar mais vestígios para uma análise mais refinada. Os fósseis serão exibidos agora no Museu da Ilha dos Dinossauros que abriga uma coleção de importância internacional.

TAGS