PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Justiça portuguesa interroga testemunhas no caso do sumiço de Maddie McCann

A Polícia alemã anunciou na quarta-feira que está investigando um suspeito, um criminoso sexual que já foi condenado várias vezes, principalmente por abusar sexualmente de menores

08:14 | 04/06/2020
A pequena Madeleine McCann, então com 3 anos, desapareceu dentro de um resort na Praia de Luz, em Portugal (Foto: divulgação)
A pequena Madeleine McCann, então com 3 anos, desapareceu dentro de um resort na Praia de Luz, em Portugal (Foto: divulgação)

A Justiça portuguesa disse estar interrogando testemunhas na investigação sobre o desaparecimento da menina britânica Madeleine McCann em 2007, cujo caso ressurgiu na quarta-feira, 3, com a identificação de um novo suspeito alemão.

"A investigação continua, interrogando especificamente testemunhas", de acordo com um comunicado divulgado ontem pela Promotoria de Faro, no sul de Portugal, que afirma que existe um trabalho conjunto com "as autoridades britânicas e alemãs".

Em outra declaração, a Polícia Judiciária confirmou "elementos que parecem mostrar a possível participação de um cidadão alemão, de 43 anos, com antecedentes criminais, que viveu em Portugal entre 1996 e 2007".

A Polícia alemã anunciou na quarta-feira que está investigando um suspeito, um criminoso sexual que já foi condenado várias vezes, principalmente por abusar sexualmente de menores. Atualmente, ele cumpre uma longa sentença "por outro assunto", disse a polícia.

Ao longo de 13 anos, o caso da pequena Madeleine teve muitas revoltas e causou grandes decepções. Centenas de pessoas foram interrogadas, tanto pela polícia portuguesa como pela Scotland Yard.

Madeleine McCann desapareceu de seu quarto em 3 de maio de 2007, a poucos dias de seu aniversário, em um bloco de apartamentos na costa da Praia da Luz, no sul de Portugal, onde passava as férias com a família.

Os pais da menina, Gerry e Kate McCann, chegaram a ser detidos e finalmente inocentados durante uma rocambolesca investigação, que terminou com a demissão do inspetor-chefe português encarregado do caso.

Depois de fechá-lo em 2008, a polícia portuguesa reabriu o caso cinco anos depois, sem sucesso.

A polícia alemã lançou um apelo a testemunhas que tenham informações sobre esse novo suspeito.

Em um comunicado divulgado pela polícia britânica, os pais de Maddie comemoraram ontem essa nova pista encontrada na Alemanha.