PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Na Itália, brasileira é presa acusada de matar sogra envenenada e ocultar cadáver; defesa alega inocência

Segundo a Polícia, a vítima teria ingerido inconscientemente um café com várias gotas de um medicamento para hipertensão. A brasileira, no entanto, alega sua inocência e diz que a sogra desejava morrer

14:49 | 19/01/2020
A brasileira alega ser inocente e diz que Simonetta queria morrer.
A brasileira alega ser inocente e diz que Simonetta queria morrer. (Foto: Reprodução/Facebook)

Brasileira foi presa na última terça-feira, 14, na Itália, acusada de matar a sogra envenenada e ocultar seu cadáver. Adriana Pereira Gomes, 32, teria preparado um café com dezenas de gotas de um medicamento para hipertensão e dado para a vítima de 76 anos, Simonetta Gaggioli. As informações são da agência italiana de notícias Ansa.

O corpo da italiana foi encontrado em agosto do ano passado embrulhado em um saco de dormir na estrada de Riotorto, a cerca de 350 quilômetros de Roma, capital do País. A brasileira, no entanto, alega ser inocente e diz que Simonetta queria morrer. "Foi suicídio, só respeitei seus desejos", disse em entrevista à Ansa.

Segundo Adriana, a mulher tomou a bebida envenenada de forma consciente, além de ter pedido para que o corpo fosse levado para o cemitério onde seu marido está enterrado. A acusada disse que no caminho para o cemitério o motor do carro falhou e ela teve que abandonar o corpo em um canal pela estrada.

As investigações, porém, indicam que a nora cometeu o crime e tentou esconder o corpo até receber a pensão da sogra para retornar ao Brasil.