PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

TV estatal diz que ataque iraniano matou 80 americanos, mas Trump ainda não confirma mortos

Televisão estatal cita uma "fonte informada" dentro da Guarda Revolucionária. Balanço não foi explicado em detalhes pela emissora

09:23 | 08/01/2020
Mísseis foram lançados nesta terça-feira, 7
Mísseis foram lançados nesta terça-feira, 7 (Foto: Reprodução/Twitter)

O Irã disparou nesta quarta-feira, 8, mísseis contra bases abrigando soldados americanos no Iraque em retaliação ao assassinato, por parte de Washington, de seu poderoso general Qassem Soleimani - uma resposta que marca uma "nova fase", mas que ainda não resultou em uma temida deflagração. 

A televisão estatal iraniana afirmou que os mísseis mataram 80 americanos, citando uma "fonte informada" dentro da Guarda Revolucionária. Esse balanço não foi explicado em detalhes pela emissora.

"A avaliação dos danos e das vítimas está em andamento. Até agora, tudo está bem!", tuitou Trump, acrescentando que faria uma declaração ao longo do dia. 

O guia supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, chamou a operação de "um tapa na cara" dos Estados Unidos. "Ações militares desse tipo não são suficientes para este caso", disse ele, acrescentando que é necessário "que a presença corrupta dos Estados Unidos na região termine".

"Não estamos buscando escalada ou guerra, mas nos defenderemos", acrescentou Mohammad Javad Zarif, chefe da diplomacia iraniana, explicando que as represálias "proporcionais" da noite "terminaram".

Esses ataques, que segundo o Exército iraquiano não causaram baixas em suas fileiras, não provocaram uma resposta imediata, mas levantaram temores de escalada regional e de conflito aberto.

Paris e Londres, cujas forças estão presentes no Iraque como parte da coalizão internacional antijihadista, também afirmaram que os ataques com mísseis não deixaram vítimas em suas fileiras.Berlim condenou o ataque, assim como Londres, que expressou "preocupação" com "relatos de feridos".

A televisão estatal iraniana afirmou que os mísseis mataram 80 americanos, citando uma "fonte informada" dentro da Guarda Revolucionária. Esse balanço não foi explicado em detalhes pela emissora.