PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Twitter suspende conta de Raúl Castro

00:02 | 13/09/2019
Medida também atinge perfis de veículos da imprensa estatal cubana e conta da filha do ex-ditador na rede social. Governo da ilha denuncia campanha de "censura em massa” e dissidentes ironizam queixa.O Twitter suspendeu nesta quinta-feira (12/09) as contas do ex-ditador cubano Raúl Castro e de uma de suas filhas, Mariela Castro, deputada e líder do movimento governista a favor dos direitos LGBT. A suspensão ocorre um dia depois de a rede social também bloquear vários perfis da mídia estatal cubana. Na quarta-feira, já haviam sido suspensas as contas do jornal Granma – o diário oficial do Partido Comunista de Cuba –, do site Cubadebate, da emissora Radio Rebelde, do Canal Caribe e do programa de TV Mesa Redonda. A conta do Granma tinha 167 mil segtuidores e a do Cubadebate, 300 mil. No entanto, permanecem ativas as contas do atual presidente cubano, Miguel Díaz-Canel Bermúdez; do segundo maior jornal do país, Juventud Rebelde; do ministro das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez; da Chancelaria da ilha; e do perfil oficial da presidência cubana. O Twitter não deu detalhes sobre a decisão de suspender as contas. Um porta-voz da empresa se limitou a afirmar que as políticas de manipulação da plataforma proíbem os usuários de ampliar ou interromper artificialmente conversas usando várias contas. Todos os veículos de imprensa tradicionais - imprensa escrita, rádio e televisão - de Cuba são estatais, mas nos últimos anos, com a tardia expansão da internet na ilha, surgiram plataformas de jornalismo independente que, além de informar de maneira mais crítica, reivindicam a liberdade de imprensa. Várias dessas plataformas independentes já denunciaram que sofrem bloqueios intermitentes por parte das autoridades cubanas. Reação Após as suspensões, a União de Jornalistas de Cuba (UPEC, na sigla em espanhol) denunciou em comunicado divulgado nesta quinta-feira o "desaparecimento desses espaços para a expressão de ideias, em um ato de censura em massa a jornalistas, editores e veículos de imprensa". "Exigimos que se restabeleçam imediatamente as contas bloqueadas que, em nenhum caso, violaram as políticas do Twitter, enquanto a plataforma pisa flagrantemente nos direitos dos comunicadores, os impede de exercer o seu trabalho e tenta amordaçar um fato informativo de primeira ordem no nosso país", ressalta o texto. Para a organização, que reúne os profissionais de veículos de imprensa oficiais, "não é a primeira vez que usuários cubanos do Twitter relatam problemas para acessar as contas e recebem mensagens de que foram bloqueadas e devem seguir o procedimento para recuperá-las". A UPEC destaca "a massividade deste ato de guerra cibernética, obviamente planejado, que procura limitar a liberdade de expressão de instituições e cidadãos cubanos, e silenciar os líderes da Revolução". O bloqueio das contas ocorreu justamente no momento em que o Miguel Díaz-Canel discursava na TV estatal, alertando para uma nova crise de energia devido às sanções dos EUA. "O que há de novo aqui é o escopo maciço desse ato de guerra cibernética, claramente planejado, que visa limitar a liberdade de expressão de instituições e cidadãos cubanos e silenciar os líderes da revolução”, afirmou Díaz-Canel em comunicado. No entanto, jornalistas cubanos independentes e figuras da oposição apontaram que é irônico que o governo da ilha, que há décadas controla com mão de ferro a mídia do país, afirme estar sofrendo censura. "A imprensa oficial cubana descobre a 'liberdade de expressão' graças ao Twitter”, ironizou o site 14ymedio, fundado pela dissidente Yoani Sánchez. ______________ A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter
TAGS