PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Pompeo diz que EUA estão prontos para dialogar com Irã "sem precondições"

12:54 | 02/06/2019
O secretário de Estado do Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou neste domingo que a administração Trump está pronta para dialogar com o Irã a fim de reduzir as crescentes tensões com o país. A declaração foi feita durante coletiva de imprensa com o ministro de Interior da Suíça, Ignazio Cassis, em Bellinzona, no sul do país. "Estamos preparados para nos envolver em conversas sem precondições", afirmou.
Pompeo destacou, contudo, que os EUA não deixarão de pressionar a República Islâmica a mudar seu posicionamento no Oriente Médio. Ele voltou a acusar o Irã de desestabilizar a região. A Suíça vem desempenhando o papel de representar os interesses dos Estados Unidos no Irã, e a visita ao país é uma forma de assegurar a líderes iranianos que os EUA não estão interessados em uma guerra. Cassis afirmou que a Suíça teria prazer em servir como uma intermediária no diálogo entre os dois países, mas não como "mediadora".
Cassis não escondeu as preocupações na região em torno das tensões entre o Irã e EUA. Alguns cidadãos norte-americanos estão detidos por autoridades iranianas e agentes da administração Trump têm sugerido que considerariam positivo qualquer movimento para libertar ao menos cinco cidadãos do país e dois residentes americanos detidos no Irã. Pompeo não comentou se teria feito um pedido específico aos suíços no que se refere aos detidos. Mas destacou que a liberação de americanos presos injustamente no Irã e em qualquer parte do mundo é uma prioridade dos EUA.
"A situação é bastante tensa. Estamos plenamente cientes, ambas as partes estão, desta tensão. A Suíça, certamente, deseja que não ocorra uma escalada da violência", afirmou Cassis.
Alguns analistas acreditam que o Irã tem tentado restaurar sua influência, após os EUA terem abandonado o acordo nuclear firmado em 2015 e restabelecido sanções que prejudicam a economia iraniana. Apesar da retirada dos EUA, o Irã continua sendo parte do acordo envolvendo os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), da Alemanha e da União Europeia. O Irã continuou a cumpri os termos, que exigiam redução das operações nucleares em troca de suspensão sanções.
Na sexta-feira, no entanto, a agência nuclear das Nações Unidas informou que o Irã pode estar usando um número de centrífugas avançadas superior ao acordado. Pompeo se recusou a comentar sobre a alegação. Fonte: Associated Press.

Agência Estado