PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Congresso Judaico condena "malhação de Judas" na Polônia

11:17 | 23/04/2019
Vilarejo do país europeu promoveu retomada da antiga tradição folclórica usando um boneco com características que remetem a estereótipos antissemitas. Prática foi banida pela Igreja Católica polonesa.O Congresso Judaico Mundial condenou a realização de um ritual de "malhação de Judas" que ocorreu na última sexta-feira (19/04) na pequena cidade polonesa de Pruchnik. Na ocasião, moradores da cidade, entre eles dezenas de crianças, surraram e queimaram uma efígie de Judas. Só que o boneco tinha vários elementos que remetem a antigos estereótipos antissemitas, como um nariz proeminente. A figura ainda tinha cachos laterais que são tipicamente usados por judeus ortodoxos. "Os judeus estão profundamente perturbados por esse horrível ressurgimento do antissemitismo medieval que levou a uma violência e sofrimento inimagináveis", disse o líder da organização, Robert Singer, em um comunicado publicado no site da organização no domingo. "Só podemos esperar que a Igreja e outras instituições façam o seu melhor para superar esses preconceitos terríveis que são uma mancha no bom nome da Polônia", acrescentou. A tradição da "malhação de Judas", também conhecida na Europa como a "queima de Judas", foi retomada na cidade de Pruchnik em 2019, após não ter sido realizada por vários anos. Antigamente, tais rituais eram comuns na Polônia, mas a Igreja Católica local há muito baniu a prática, avaliando que ela promove o ódio e a violência. Hoje, o vilarejo de Pruchnik, que tem pouco mais de 3 mil habitantes, é o único local da Polônia onde o ritual ainda é oficialmente organizado, segundo a Organização Polonesa de Turismo. A tradição cristã ensina que Judas traiu Jesus Cristo em troca de um pagamento de 30 moedas de prata. No Brasil e na América Latina, as festas de malhação de Judas ainda são relativamente comuns e costumam ocorrer no Sábado de Aleluia. Nas redes sociais, alguns usuários poloneses e apoiadores estrangeiros do governo nacionalista do país defenderam o ritual de "malhação de Judas" de Pruchnik, argumentando que tal tradição também é praticada na América Latina e na Espanha e que, portanto, as críticas seriam seletivas. Os usuários, no entanto, não mencionaram os elementos do boneco que remeteram a estereótipos do povo judaico. JPS/ots ______________ A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Fonte: DW | dw-world.de

TAGS