PUBLICIDADE
Mundo
NOTÍCIA

Índia: rivais se juntam para derrotar partido de Modi em Uttar Pradesh

13:27 | 07/04/2019
Arquirrivais políticos no Estado mais populoso da Índia, Uttar Pradesh, fizeram manifestação juntos neste domingo, pedindo aos eleitores que apoiem uma nova aliança criada com o propósito expresso de derrotar o partido nacionalista hindu Bharatiya Janata (BJP, na sigla em inglês), do primeiro-ministro Narendra Modi.
O Partido Bahujan Samaj (BSP, na sigla em inglês), dominado por castas baixas, e o Partido Samajwadi (SP, na sigla em inglês), que tem influência junto às chamadas castas "atrasadas" (social ou educacionalmente desfavorecidas) e aos muçulmanos, decidiram disputar eleições no Estado de Uttar Pradesh, em uma coalizão liderada pela presidente do BSP Mayawati. "Esta eleição vai expor o BJP porque o primeiro-ministro não cumpriu as promessas" feitas às castas mais baixas, aos pobres e aos desempregados, disse Mayawati, durante um comício em Saharanpur neste domingo.
"Ele ajudou os ricos a ganhar mais riquezas durante seus cinco anos de governo e, quando percebeu que não conseguiu entregar, usou o incidente de Pulwama para conseguir votos", disse ela, referindo-se ao ataque suicida de 14 de fevereiro contra um comboio paramilitar indiano na Caxemira que matou 40 soldados e levou os rivais Índia e Paquistão à beira da guerra.
A manifestação estava cheia de apoiadores do partido carregando bandeiras e gritando slogans. Eles também estavam carregando fotos de Mayawati e Akhilesh Yadav, o chefe do Partido Samajwadi.
Mayawati prometeu cotas em empregos do governo para os pobres e as castas mais baixas, enquanto exortava os muçulmanos a votarem em candidatos da aliança "porque somos verdadeiros salvadores da comunidade minoritária". "Acredite em mim, o BJP está saindo e a aliança fará parte do próximo governo", disse Mayawati.
A aliança pode representar um desafio para o BJP nas cinco semanas de votação que começam nesta semana, dizem especialistas. "Mesmo que a discriminação de castas tenha sido oficialmente proibida na Índia, a casta continua a ser a força motriz que molda a forma como as pessoas votam durante as eleições", disse o pesquisador do Instituto Giri de Estudos sobre Desenvolvimento, Nomita P. Kumar.
Em Uttar Pradesh, as pessoas de castas inferiores representam 22% da população, as pessoas de castas "atrasadas" significam 45%, e 19% são muçulmanas. Os 14% restantes são de castas superiores. "Aritmeticamente, a aliança entre Mayawati e Akhilesh parece muito potente. Eles têm números e, se os eleitores optarem por esses partidos, a aliança varrerá Uttar Pradesh", disse Kumar.
Dos 80 lugares em disputa no Lok Sabha, a câmara baixa do Parlamento da Índia, o BSP disputará 38, e o SP, 37. Outro partido regional, o Rashtriya Lok Dal, disputará três cadeiras. Fonte: Associated Press.

Agência Estado