PUBLICIDADE
Notícias

China promete manter esforços para reduzir estoque de dívidas

08:28 | 25/02/2019
O regulador financeiro da China prometeu hoje manter esforços para reduzir o estoque de dívidas no país, num momento em que Pequim acentua sua retórica contra crescentes riscos econômicos em meio à desaceleração doméstica.
A China estabilizou seu índice geral de alavancagem após a campanha lançada há cerca de um ano para reduzir o endividamento estrutural, afirmou hoje Wang Zhaoxing, um vice-presidente da Comissão Regulatória Bancária e de Seguros da China.
Wang ressaltou, porém, que as dívidas acumuladas por empresas e governos locais ao longo de anos representam um risco em potencial e exigem atenção regulatória.
"Diante da maior pressão de baixa no crescimento econômico, devemos ampliar nossos esforços para prevenir riscos", disse ele, citando uma série de fatores potencialmente problemáticos, incluindo empréstimos inadimplentes de bancos, as condições de liquidez de pequenas instituições financeiras, e os setores bancário paralelo e imobiliário.
O banco central chinês, conhecido como PBoC, e reguladores vêm injetando fundos no sistema bancário para combater a desaceleração econômica, por meio da redução de compulsórios e outras medidas.
Em resposta a essa iniciativa, a concessão de novos empréstimos bancários na China atingiu nível recorde em janeiro e o avanço na liberação de crédito geral também ganhou força, segundo recentes dados oficiais.
Também nesta segunda-feira, o regulador bancário divulgou em seu site diretrizes com o objetivo de aliviar as dificuldades financeiras de empresas privadas e incentivar bancos a solucionar a questão dos empréstimos inadimplentes de forma que eles disponham de mais crédito para destinar ao setor privado.
Segundo reportagem da agência de notícias estatal Xinhua, publicada no sábado, o presidente chinês, Xi Jinping, disse em reunião com dirigentes de alto escalão que Pequim precisa atingir o equilíbrio entre estabilizar o crescimento e afastar riscos financeiros. Fonte: Dow Jones Newswires.

Agência Estado

TAGS