PUBLICIDADE
Notícias

Violência em eleições na Nigéria deixa dezenas de mortos

00:02 | 25/02/2019
Segundo consultoria, pelo menos 35 pessoas morreram no país. Mais de 70 milhões de eleitores foram convocados para escolher novo presidente.Pelo menos 35 pessoas morreram em meio à violência desencadeada pelas eleições na Nigéria, informaram neste domingo (24/02) grupos da sociedade civil, depois que eleitores se dirigiram às urnas no sábado para escolher o novo presidente do país. Os grupos disseram que o número de mortos durante a maior eleição da África superam os da disputa 2015, que registrou um ataque do grupo jihadista Boko Haram que matou mais de uma dúzia de pessoas. Votações anteriores também foram marcadas por violência e manipulação de votos. Clement Nwankwo, membro de uma entidade que representa mais de 70 grupos da sociedade civil, disse que 16 pessoas foram mortas pela violência que tomou conta de oito Estados, enquanto a consultoria SBM Intelligence citou 35 mortos. A disputa presidencial tem sido considerada acirrada. Mais de 70 candidatos disputam o pleito, mas apenas dois candidatos aparecem entre os favoritos: o presidente Muhammadu Buhari e o empresário Atiku Abubakar. Buhari, de 76 anos, ex-líder militar que busca um segundo mandato à frente da maior nação produtora de petróleo da África com uma plataforma anticorrupção, enfrenta Atiku, de 72 anos, ex-vice-presidente da Nigéria, que prometeu expandir o papel do setor privado. Festus Okoye, uma autoridade da Comissão Nacional Eleitoral Independente, disse que algumas pessoas foram mortas nos estados ao sul do país de Rivers, Lagos e Oyo, mas não podia confirmar números. Algumas seções de votação permaneceram abertas neste domingo para permitir que mais nigerianos votassem, após a violência, atrasos na abertura de urnas e falhas de sistema em vários Estados interromperam o processo eleitoral no sábado. Ainda não está claro quando os resultados da eleição serão anunciados. JPS/rt/ots ______________ A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Fonte: DW | dw-world.de

TAGS