PUBLICIDADE
Notícias

Abrem investigação por insultos antissemitas contra filósofo francês

09:48 | 17/02/2019

A Promotoria de Paris abriu uma investigação judicial sobre os insultos antissemitas contra o filósofo francês Alain Finkielkraut, no sábado (16), à margem de uma manifestação de "coletes amarelos" na capital francesa.

Foi iniciada uma investigação por "injúria pública devido à origem, etnia, nação, raça ou religião, em forma oral, escrita, visual ou meio de comunicação eletrônico", indicou a Promotoria.

Finkielkraut, por sua vez, afirmou neste domingo (17) à emissora de televisão LCI que não se sentia "nem vítima nem herói" e que não iria apresentar denúncia.

"Senti um ódio absoluto e, infelizmente, não é a primeira vez", declarou Finkielkraut ao Journal de Dimanche. "Por sorte as forças de segurança estavam lá, senão eu teria sentido medo", acrescentou.

Finkielkraut também destacou que foi insultado por alguns "coletes amarelos", mas que houve outros que não foram agressivos com ele.

O filósofo foi chamado, entre outras coisas, de "sionista de merda" por alguns manifestantes exaltados.

Os insultos foram condenados pelas forças políticas francesas e pelo presidente, Emmanuel Macron, que disse que as "injúrias antissemitas" são "a negação absoluta do que somos".

AFP