PUBLICIDADE
Notícias

Milhares protestam na Rússia contra reforma da previdência

16:37 | 25/02/2019
Dezenas de milhares de manifestantes saíram às ruas na Rússia neste sábado para protestar contra uma proposta que eleva substancialmente a idade de aposentadoria para homens e mulheres. Uma multidão estimada em mais de 10 mil pessoas participou de um protesto em Moscou que foi convocado pelo partido Comunista. Milhares de pessoas também se reuniram em Ecaterimburgo, e manifestações foram registradas em outras grandes cidades russas, como Rostov-on-Don e Volgogrado. Não houve relatos de prisões.
A câmara baixa do Parlamento russo, a Duma, deu aprovação preliminar a uma medida que vai elevar de forma gradual a idade de aposentadoria, de 60 para 65 anos no caso de homens e de 55 para 63 anos no caso de mulheres.
Os manifestantes pediram a realização de um referendo nacional sobre a proposta antes que o Parlamento considere novas análises do projeto de lei após voltar do recesso de verão, em setembro.
A proposta que aumenta a idade de aposentadoria foi apresentada na véspera da abertura da Copa do Mundo da Rússia, no mês passado, e opositores acusam o governo de se aproveitar da distração da população com o torneio de futebol.
A confiança da população no presidente Vladimir Putin caiu significativamente em pesquisas de opinião desde que a proposta foi apresentada. Na semana passada, ele tentou acalmar os ânimos dizendo que vai ouvir "todas as opiniões" sobre o assunto.
"Se a idade de aposentadoria for aumentada, todo cidadão russo vai ser roubado em mais de 1 milhão de rublos (US$ 16 mil), e isso é inaceitável", disse o ativista Sergei Udaltsov durante a manifestação em Moscou.
Ele disse que se não houver referendo, milhões vão sair às ruas. "Vamos exigir não apenas a paralisação da reforma da previdência, mas também uma mudança no poder - a destituição do governo, a dissolução da Duma e o impeachment do presidente."
Segundo o Banco Mundial, a expectativa de vida na Rússia era de 71 anos em 2016, de 65 anos em 2003. O governo russo diz que esse aumento onera o sistema previdenciário. Fonte: Associated Press.

Agência Estado