PUBLICIDADE
Notícias

Nobel da Paz estimula EUA e Coreia do Norte à distensão

12:41 | 09/12/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

Alarmados por uma "ameaça iminente", os representantes da Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (ICAN), vencedores do Nobel da Paz 2017, animaram neste sábado Estados Unidos e Coreia do Norte à distensão.

"Há agora uma ameaça iminente", declarou Beatrice Fihn, diretora da ICAN, questionada sobre as tensões entre os dois países em uma coletiva em Oslo, na véspera da cerimônia da entrega do Nobel.

"Estimularia fortemente esses líderes a voltarem atrás (...), a pararem de ameaçar usar armas de destruição em massa para massacrar centenas de milhares de civis e encontrar soluções diplomáticas" para acabar com as armas nucleares, disse.

"De maneira reiterada e veemente estimulo esses dirigentes a jamais usarem uma arma nuclear (...) e a negociar", declarou Setsuko Surlow, uma sobrevivente do bombardeio nuclear de Hiroshima, que deixou 140 mil mortos há 72 anos.

Esta mulher de 85 anos, que hoje mora no Canadá, e Beatrice Fihn receberão formalmente no domingo o Nobel em nome da ICAN, organização recompensada por seus esforços contra as armas nucleares.

A ICAN, que há anos alerta sobre o perigo destas armas, registrou uma importante vitória quando a ONU aprovou em julho um novo tratado que as proíbe.

O documento, adotado por 122 países apesar da oposição de potências nucleares, pode demorar alguns anos para entrar em vigor, pois antes tem que ser ratificado por pelo menos 50 signatários.

Mas Fihn declarou recentemente que está convencida de que já teve um impacto na opinião pública sobre as armas nucleares.

AFP

TAGS