PUBLICIDADE
Notícias

Nudismo e sopa de batata, o lado insólito das legislativas alemãs

13:53 | 20/09/2017

Limitar o preço da cerveja, fazer renascer o nudismo, ou defender a sopa de batata. Até certo ponto entediantes, uma vez que a vitória da chanceler Angela Merkel está quase garantida, as eleições legislativas alemãs também têm seu lado insólito.

Oito anos depois de revelar ao mundo que um de seus pratos favoritos era sopa de batata, a chanceler Merkel - muito reservada sobre sua vida privada - acaba de revelar sua receita.

"Sempre esmago as batatas com um amassador, nunca com um espremedor de batatas, assim, sempre ficam alguns pedaços inteiros", contou à revista "Bunte" aquela que muitos consideram a mulher mais poderosa da Europa.

Durante uma coletiva de imprensa com crianças, a chanceler revelou alguns elementos insuspeitos de sua personalidade. Seus animais favoritos são "os ouriços, os elefantes e as lebres". Ela adora espaguete à bolonhesa, e seu passatempo favorito é "cultivar batatas".

Quanto à profissão que desejaria exercer, Merkel confiou que trocaria seu traje de chanceler pelo de um "astronauta que voa ao redor da Terra".

Die PARTEI (O Partido, em alemão), formação criada em 2004 por iniciativa da revista satírica alemã "Titanic", quer frear a inflação do preço da cerveja.
Também exige que os tribunais alemães julguem os russos "responsáveis por tudo", aqueles que "não pagam aluguel" e os "atrasos dos trens".

Em 2014, este partido conseguiu eleger seu fundador, Martin Sonneborn, ao Parlamento Europeu com slogans como "Merkel é boba", "Merkel é gorda", ou ainda "Não à Europa, Sim à Europa".

O líder dos liberais do FDP, o carismático Christian Lindner, de 38 anos, aparece nos cartazes de campanha de seu partido com uma barba de três dias e um olhar penetrante.

Mas antes de se gabar de seu físico, Lindner foi um adolescente obeso, como confessou ao jornal "Bild": "Aos 14 anos pesava quase 100 quilos, e tinha 10 centímetros a menos (de altura) do que agora".

Depois de um regime draconiano e de muita corrida, afirmou ter perdido 30 quilos. "Agora, com 1,86 metro, peso 80 quilos".

Nas redes sociais, não faltaram piadas sobre o líder do FDP, como um slogan "a cada 11 segundos, um liberal se apaixona por si mesmo".

Gregor Gysi, um dos líderes da esquerda radical na Alemanha, lamenta que a prática do nudismo esteja em baixa e, como parte de sua campanha, promove o encorajamento desse estilo de vida.

"É uma pena que o naturismo perca gradualmente o terreno, já que o #FKK (termo alemão para o nudismo) era uma prática que tinha um toque de classe, e não era realmente erótica", disse no Twitter.

Perguntado se ele próprio ousaria tomar sol nu, Gregor Gysi, saiu pela tangente e desconversou: "Há limites para tudo".

Fundado este ano, em Berlim, o partido Die Urbanen (Os Urbanos) tem como objetivo levar a cultura do hip-hop ao Bundestag, alegando que se trata de um "movimento emancipatório global".

Seus princípios são: participação, realização pessoal, competência criativa e crítica ao poder, que devem servir para resolver conflitos políticos de forma "coletiva e não violenta".

O partido espera alcançar, pelo hip-hop, a justiça e a igualdade.

AFP

TAGS