PUBLICIDADE
Notícias

Holanda anuncia detenção de suspeito após cancelamento de show por "ameaça terrorista"

06:18 | 24/08/2017
NULL
NULL

[FOTO1] 

A polícia da Holanda anunciou nesta quinta-feira a detenção de um homem de 22 anos como parte da investigação sobre a "ameaça terrorista" que provocou o cancelamento de um show de rock após uma advertência da polícia espanhola.

O suspeito foi detido em Brabant, província do sul do país, e está sendo interrogado sobre a ameaça em Roterdã, informou a polícia em um comunicado.

Outro homem, o motorista espanhol de uma van com placa da Espanha que transportava cilindros de gás, foi detido na quarta-feira.

As detenções aconteceram menos de uma semana depois de dois atentados com veículos na Espanha, reivindicados pelo grupo Estado Islâmico (EI), que deixaram 15 mortos.

"Às 2h00 (21h00 de Brasília, quarta-feira), os agentes do Serviço de Intervenções Especiais (DSI) entraram em uma casa de Brabant. O morador de 22 anos foi detido", informou a polícia.

As autoridades holandesas decidiram cancelar na quarta-feira à noite o show do grupo de rock californiano Allah-Las, depois que a polícia recebeu às 17H30 (12H30 de Brasília) um alerta das forças de segurança espanholas sobre uma ameaça terrorista.

Esta é a segunda detenção vinculada ao incidente: um homem que dirigia uma van com placa espanhola foi detido na quarta-feira às 21H30 (16h30 de Brasília) "por sua forma de conduzir", por um agente da polícia perto da casa de espetáculos Maassilo, na zona portuária de Rotterdã.

O motorista, "que aparentava estar sob influência de álcool", é mecânico e tinha autorização para o transporte de cilindros de gás.

O esquadrão antibombas não encontrou nada nos cilindros e a operação de busca na residência do detido "não estabeleceu até o momento nenhum vínculo com a ameaça terrorista em Maassilo", informou a polícia.

O indivíduo será interrogado nesta quinta-feira.

As autoridades holandesas indicaram que a investigação determinará se existe uma relação entre a van e o alerta da polícia espanhola.

AFP

TAGS