PUBLICIDADE
Notícias

Uma em cada oito pessoas que votaram em Trump mudaria o voto, aponta pesquisa

Enquanto outras pesquisas mediram diferentes níveis de insatisfação entre os eleitores de Trump, a Reuters/Ipsos mostra quantos iriam de fato mudar a maneira como votaram

16:15 | 20/07/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

Os primeiros seis meses de governo republicano não se repetiriam entre uma em cada oito pessoas que votaram em Donald Trump. É o que diz a pesquisa da Reuters/Ipsos com eleitores de 2016.

Embora a maioria das pessoas que votaram em Trump em 8 de novembro afirme que o apoiaria novamente, o apoio em sua base de eleitores mais velhos e descontentes, sobretudo brancos, representa um desafio para o presidente.

Trump, que ganhou a Casa Branca com aperto, precisa de apoio para conseguir aprovar seu programa em um Congresso dividido e para ter chances de um segundo mandato em 2020.

A pesquisa analisou os eleitores que disseram à Reuters/Ipsos no dia da eleição como votariam. Enquanto outras pesquisas mediram diferentes níveis de insatisfação entre os eleitores de Trump, a pesquisa Reuters/Ipsos mostra quantos iriam de fato mudar a maneira como votaram. A pesquisa foi realizada primeiramente em maio e depois em julho.

Na pesquisa de julho, 12% dos entrevistados afirmaram que não votariam em Trump "se as eleições presidenciais de 2016 fossem realizadas hoje". Entre esses, 7% disseram que apoiariam outros candidatos ou não votariam.

No entanto, 88% disseram que votariam no republicano novamente, o que representa uma melhora se comparado a maio, que registrou 82%. Em conjunto, as pesquisas sugerem que a situação de Trump com sua base eleitoral evoluiu ligeiramente ao longo dos últimos meses, mesmo com as frequentes falhas do Partido Republicano para reformar o sistema de saúde e das investigações parlamentares e federais sobre as relações de sua campanha com a Rússia.

Entres os eleitores que disseram não votar mais em Trump, alguns estão cansados de seus ataques diários aos democratas, mídia e judiciários. Outro ficaram desapontados com o fato de que o governo Trump não varreu imigrantes ilegais para fora de suas comunidades. Também disseram que o presidente não terminou com a desconfiança e o hiperpartidarismo em Washington como era esperado.

 

Redação O POVO Online 

TAGS