PUBLICIDADE
Notícias

Agência de inteligência alemã permite visitação ao novo campus em Berlim

16:40 | 28/08/2016
A Agência Federal de Inteligência da Alemanha convidou o público neste fim de semana para a primeira e única visitação ao mais novo campus do órgão, no centro de Berlim.

A Bundesnachrichtendienst, ou BND, está celebrando seu 60º aniversário, e no próximo ano vai deixar sua reclusa sede no subúrbio de Munique para se mudar de vez para a capital alemã. É o maior e um dos mais caros prédios construídos pelo governo da Alemanha após a Segunda Guerra Mundial.

A mudança de 4 mil funcionários para o edifício vem em um momento em que o governo alemão põe mais ênfase nas operações de espionagem. Na semana passada, a chanceler Angela Merkel disse que recolher e compartilhar inteligência estava entre as coisas mais importantes que os países da União Europeia podem fazer para justificar a existência do bloco.

A maior parte do trabalho da BND é invisível, feita por milhares de analistas e espiões em centenas de escritórios espalhados na Alemanha e em todo mundo, com o uso de satélites, escutas, e espionagem tradicional que depende de fontes humanas.

O serviço de espionagem foi secretamente envolvido como mediador de uma negociação de anistia entre Israel e o Hezbollah. A BND disse no ano passado que suas informações impediram cerca de 40 ataques a soldados alemães no Afeganistão.

Em meio a temores renovados de ataques terroristas na Europa, a Alemanha respondeu com a expansão da agência e a mudança completa para Berlim. O ex-presidente da agência, Gerhard Schindler, disse que o movimento tornaria a BND mais transparente.

Schindler foi substituído recentemente por Bruno Kahl, um administrador do Ministério das Finanças conhecido por seu domínio do poder burocrático alemão e conexões próximas com o ministro das finanças, Wolfgang Schäuble. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS