PUBLICIDADE
Notícias

Feminista paquistanesa é morta pelo irmão

Qandeel Baloch, que tinha mais de 55 mil seguidores em seu perfil Instagram, era famosa entre o público jovem de seu país. Ela estava na casa dos pais para passar uns dias com a família e foi encontrada com sinais de estrangulamento

15:24 | 17/07/2016
NULL
NULL

A feminista Qandeel Baloch foi assassinada nesta sexta, 15, pelo irmão. O suposto crime de honra aconteceu em Punjab, Paquistão, e foi descoberto na manhã do sábado, 16. O corpo apresentava sinais de estrangulamento. De acordo com o The Wall Street Journal, o irmão dela, Wasin, está foragido e a polícia realiza a procura. [SAIBAMAIS 5] O pai da paquistanesa que morava em outra província e estava lá para visitar a família registrou queixa por escrito, na qual ele acusa o filho de matar a irmã por motivo de honra. Baseada no documento, a polícia local encaminhou o caso como assassinato.

Em entrevista ao The Express Tribun, os pais de Baloch disseram que os dois filhos discutiram na noite do crime por conta do comportamento de Qandeel e que ele vinha ameaçando-a após ter visto algumas fotos da irmã. A jovem, que tinha entre 20 e 30 anos e que possuía mais de 55 mil seguidores em seu perfil no Intagram, era considerada polêmica por suas declarações sobre sexualidade e comportamentos rechaçados pela sociedade do País, conhecida pelos fortes traços de conservadorismo e religiosidade. Poucos dias antes do ocorrido, a webcelebridade teria prometido realizar um striptease online.

Qandeel tornou-se uma figura pública no Paquistão em 2014, ao publicar vídeo em que olhava para a câmera de forma sensual e perguntava como estava sua aparência. Desde então, passou a ter visibilidade entre o público jovem por apresentar atitudes que desafiavam os costumes sociais do lugar e, ao mesmo tempo, provocava reflexões acerca da liberdade com o corpo.

                                                                                       Redação O POVO Online

TAGS