PUBLICIDADE
Notícias

Talibãs executam 16 passageiros de ônibus no norte do Afeganistão

"Os talibãs pararam três ou quatro ônibus e obrigaram os passageiros a descer. Depois verificaram as identidades", afirmou Shir Aziz Kamawal, comandante da polícia local

08:57 | 31/05/2016

Os insurgentes talibãs executaram nesta terça-feira, 31, pelo menos 16 passageiros que viajavam em três ou quatro ônibus na região norte do Afeganistão e levaram dezenas de pessoas como reféns, informaram as autoridades locais.

Este é o primeiro ataque do tipo desde que os talibãs designaram um novo líder na semana passada, o mulá Hebatullah Akhundzada, uma autoridade religiosa discreta, que virou o sucessor do mulá Mansur, morto em um ataque de drone americano no Paquistão.

[SAIBAMAIS1]De acordo com o governo local, o ataque aconteceu na manhã desta terça-feira, 31, na província setentrional de Kunduz. Os insurgentes apontaram contra os passageiros que eles suspeitavam que trabalhavam para o governo afegão, em mais uma demonstração de que pretendem prosseguir com a luta contra as autoridades.

"Os talibãs pararam três ou quatro ônibus e obrigaram os passageiros a descer. Depois verificaram as identidades", afirmou Shir Aziz Kamawal, comandante da polícia local, que anunciou um balanço de 17 mortos.
"Eles executaram 17 pessoas e liberaram alguns passageiros, mas ainda mantêm reféns", disse Kamawal.

O porta-voz do governo da província de Kunduz, Sayed Mahmud Danish, afirmou que os "talibãs executaram 16 passageiros e mantêm 30 como reféns".

De acordo com os moradores da região contactados pela AFP, os insurgentes estabeleceram um "tribunal islâmico" em uma mesquita local para verificar se as pessoas mantidas como reféns têm alguma relação com as autoridades de Cabul.

Os talibãs têm o hábito de interromper o trânsito nas áreas em que se encontram em posição de força para verificar os documentos de identidade dos passageiros e motoristas. Eles executam ou mantêm como reféns os suspeitos de trabalhar para o governo afegão.

"Nenhum passageiro usava uniforme da polícia, mas alguns podem já ter trabalhado para as forças de segurança", explicou Shir Aziz Kamawal.
A região de Kunduz é uma das mais instáveis do Afeganistão. Há alguns meses, os talibãs conseguiram conquistar a cidade de mesmo nome durante alguns dias, mas foram expulsos.

Desde então, os insurgentes intensificaram as ofensivas militares em todo o país, não apenas em seus redutos do sul e leste do Afeganistão.

Os esforços para levar os talibãs novamente à mesa de negociações com Cabul não apresentaram resultados.

Para os analistas, o novo líder talibã, o mulá Habatullah Akhundzada, não mudará a linha de seu antecessor e rejeitará qualquer tipo de diálogo.

AFP

TAGS