PUBLICIDADE
Notícias

Piloto ucraniana condenada na Rússia inicia greve de fome

Nadia Savchenko foi condenada em março a 22 anos de prisão por cumplicidade no assassinato de dois jornalistas russos na Ucrânia.

06:09 | 06/04/2016
A piloto militar ucraniana Nadia Savchenko, condenada na Rússia a 22 anos de prisão por cumplicidade de assassinato, parou de comer e beber nesta quarta-feira, 6, para pressionar as autoridades e conseguir retornar à Ucrânia.

Savchenko, de 34 anos, já havia anunciado que iniciaria uma greve de fome quando a sentença de 22 anos de prisão fosse confirmada, o que aconteceu na terça-feira, 5, em um tribunal de Donetsk, sul da Rússia.

Em um texto publicado no Facebook por um de seus advogados, Mark Feiguin, Savchenko, que virou heroína nacional em seu país, pede o "retorno imediato à Ucrânia".

De dezembro de 2014 a março de 2015, ela passou mais de 80 dias em greve de fome, até que decidiu voltar a comer e beber durante sete dias.

Após um julgamento de seis meses que aumentou a tensão entre Moscou e Kiev, a piloto foi condenada no dia 22 de março a 22 anos de prisão por cumplicidade no assassinato, em junho de 2014, de dois jornalistas russos no leste separatista da Ucrânia.

Segundo a justiça russa, Savchenko guiou os tiros de morteiro que mataram os jornalistas, o que ela nega. A piloto denuncia um "julgamento político".
AFP
TAGS