PUBLICIDADE
Notícias

Sátira a Erdogan gera mal-estar entre Alemanha e Turquia

13:23 | 29/03/2016
Imagem de Erdogan que aparece no vídeo da emissora NDRAncara convoca embaixador alemão para tentar impedir que esquete humorístico da emissora NDR continue sendo exibido. Oposição em Berlim vê agressão à liberdade de imprensa e critica silêncio do governo Merkel. O governo da Turquia convocou o embaixador alemão em Ancara, Martin Erdmann, para protestar contra uma sátira ao presidente Recep Tayyip Erdogan exibida pela televisão alemã, afirmaram diplomatas turcos nesta terça-feira (29/03). Segundo os diplomatas, o governo turco exigiu do embaixador que o esquete, de cerca de dois minutos, não seja mais exibido. Trata-se de uma paródia da música Irgendwie, Irgendwo, Irgendwann (de alguma maneira, em algum lugar, em algum momento), sucesso da cantora Nena, com o nome Erdowie, Erdowo, Erdogan. A paródia afirma que, na Turquia, quando um jornalista publica algo de que Erdogan não gosta, logo vai para a cadeia. A canção também afirma que o governo turco persegue a minoria curda do país. A sátira foi exibida no programa Extra 3, da emissora pública NDR, do norte da Alemanha, em 17 de março. A oposição alemã exige que o governo da chanceler federal Angela Merkel faça um claro protesto contra a convocação do embaixador. "O braço de Erdogan já alcança até a Alemanha. O Ministério do Exterior precisa tomar logo uma posição clara em defesa da liberdade de imprensa", afirmou a deputada Sevim Dagdelen, do partido A Esquerda. O governo alemão ainda não se manifestou. A vice-presidente do Bundestag (Parlamento alemão), Claudia Roth, do Partido Verde, afirmou que o governo alemão se tornou dependente da Turquia por causa de sua política para refugiados. Segundo ela, essa situação deve acabar, pois, do contrário, custará caro para a Alemanha. Em meio à controvérsia, o programa humorístico publicou uma foto de Erdogan no seu Twitter, chamando-o de "nosso funcionário do mês", e divulgou o vídeo com legendas em inglês. O editor-chefe da NDR, Andreas Cichowicz, afirmou que o protesto turco é contrário à liberdade de imprensa e de expressão. Além da sátira, Erdogan também teria se irritado com a presença de diplomatas europeus, entre eles Erdmann, no tribunal onde estão sendo julgados jornalistas do jornal Cumhurriyet, crítico ao governo turco. Os diplomatas estavam presentes como observadores. Ao vê-los, Erdogan teria dito: "Este não é o país de vocês, esta é a Turquia". O governo da França foi o único a reagir até o momento e afirmou que o procedimento é normal e está em conformidade com a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas. Alguns dias atrás, a revista alemã Der Spiegel afirmou que retirou seu correspondente em Ancara porque o governo turco não renovou o visto do jornalista. A publicação acusou a Turquia de desrespeitar a liberdade de expressão. AS/afp/dpa
TAGS