PUBLICIDADE
Notícias

Prêmios Nobel da Paz pedem libertação de Leopoldo López

21:03 | 18/02/2016
Walesa e Arias discursaram em Parlamento da VenezuelaNa Venezuela diante parlamentares, Óscar Arias e Lech Walesa defendem a liberdade de presos políticos. Ex-presidentes participam de cerimônia que marca os dois anos do dia em que Lopéz se entregou para as autoridades. Dois ganhadores do Prêmio Nobel da Paz, o ex-presidente da Costa Rica Óscar Arias e ex-presidente da Polônia Lech Walesa, defenderam nesta quinta-feira (18/02) a libertação do líder oposicionista venezuelano Leopoldo López, durante uma sessão especial no Parlamento da Venezuela, em Caracas. O evento foi promovido para apoiar opositores que estão presos. López foi preso em 2014 e condenado a 14 anos de prisão por incitação à violência durante uma marcha contra o governo de Nicolás Maduro. Arias afirmou que a liberdade do líder oposicionista e de presos políticos é necessária para "que a Venezuela possa voltar a ser chamada de uma democracia que respeita os direitos humanos". O ex-presidente lamentou a situação social que o país enfrenta com o aumento da pobreza e a condições de vida de "não se podem qualificar como dignas". Arias criticou ainda a posição do governo de responsabilizar fatores externos pela crise que o país passa. "É cinismo falar sobre conspiração internacional, guerra econômica, inflação induzida e sabotagem do setor privado a testemunhas dos erros e abusos cometidos pelas autoridades", ressaltou Arias. Walesa defendeu a união e questionou o motivo pelo qual a Venezuela não está fazendo proveito de suas riquezas. O ex-presidente polonês ressaltou que esse não é o momento de buscar culpados e afirmou que o país precisa se reencontrar com seus dirigentes. Arias e Walesa participaram da sessão especial convocada para apoiar os presos políticos. O evento marcou os dois anos do dia em que Lopéz se entregou para as autoridades, em 18 de fevereiro de 2014. CN/dpa/efe
TAGS