PUBLICIDADE
Notícias

Grécia protesta por bloqueio de milhares de migrantes em seu território

Mais de 5.000 migrantes estavam bloqueados nesta segunda-feira, 22, no posto de fronteira de Idomeni (norte), última cidade grega antes da Macedônia, de acordo com uma fonte policial

08:45 | 22/02/2016

A Grécia anunciou nesta segunda-feira, 22, que iniciou uma série de ações diplomáticas para desbloquear o problema de milhares de migrantes refugiados retidos na fronteira com a Macedônia, desde que este país decidiu no domingo, 21, impedir a passagem aos afegãos.

Mais de 5.000 migrantes estavam bloqueados nesta segunda-feira, 22, no posto de fronteira de Idomeni (norte), última cidade grega antes da Macedônia, de acordo com uma fonte policial. O ritmo de passagem registrou uma forte desaceleração.

[SAIBAMAIS2]O Pireu, o maior porto da Grécia, situado ao lado de Atenas, recebeu 3.000 migrantes e refugiados na manhã desta segunda-feira, segundo o ministério da Imigração. Mas os ônibus de transporte para Idomeni não estão mais autorizados a sair da capital, informou a polícia.

"Iniciamos uma série de ações diplomáticas, acreditamos que o problema será resolvido", disse o ministro grego da Imigração, Yannis Mouzalas, ao canal público do Parlamento.

"Estamos fazendo preparativos para que, se o problema no for resolvido, se a Sérvia e Skopje violarem as decisões europeias, tenhamos a capacidade de administrar o problema que será criado na Grécia", advertiu Mouzalas.

O bloqueio da rota migratória para a Europa central e do norte tem como pano de fundo a decisão da Áustria de limitar a 80 o número de demandas diárias de asilo em seu território, e a 3.200 o número de migrantes em trânsito.

"Se a Áustria fechar suas fronteiras, acontecerá um efeito dominó na rota migratória dos Bálcãs", pela qual transitam dezenas de milhares de pessoas, fundamentalmente sírios, iraquianos e afegãos, afirmou recentemente uma fonte do governo grego.

As ilhas gregas do Egeu oriental continuam sendo a principal porta de entrada dos migrantes na Europa. Depois do registro nestas ilhas, os imigrantes viajam ao Pireu e do porto seguem de ônibus para Idomeni, de onde prosseguem viagem para a Alemanha e os países escandinavos.

AFP

TAGS