PUBLICIDADE
Notícias

Hillary promete trabalhar com oposição se eleita nos EUA

08:25 | 26/01/2016
Os pré-candidatos do Partido Democrata à presidência dos Estados Unidos realizaram um evento na noite desta segunda-feira, durante um fórum da rede CNN em Des Moines, uma semana antes do caucus em Iowa. A ex-secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, prometeu trabalhar com a oposição republicana para conseguir progressos, se eleita. "Eu quero começar a partir da crença de que podemos encontrar um território comum", afirmou ela.

Além disso, Hillary também buscou se apresentar como uma candidata já testada, lembrando que os eleitores estarão elegendo o comandante-em-chefe do país. Ela disse que tem sido atacada há anos, mas isso não significou nada. "É preciso ter alguém que já foi provado, é um combatente experimentado", argumentou.

Já o senador Bernie Sanders defendeu um governo mais participante, dizendo que os problemas dos EUA são tão grandes que é preciso trazer de volta o que qualificou como "a era do governo grande". "Nós não podemos continuar a ter um governo dominado pela classe dos bilionários", disse o senador por Vermont.

O fórum em Des Moines foi a última chance de os eleitores questionarem a dupla e também o ex-governador de Maryland Martin O'Malley, antes da votação em Iowa. Os pré-candidatos foram questionados sobre vários temas, de política agrícola a meio ambiente, passando pela elegibilidade deles. O'Malley aparece em um distante terceiro lugar nas pesquisas, mas disse que não está retirando seu nome da disputa. Ele disse que é o único do trio que tem um histórico de "unir as pessoas", não de dividi-las.

Sanders defendeu sua posição sobre restrições à venda de armas. Este é um dos raros assuntos em que Hillary está à esquerda do rival. O senador apoiou legislação que deu aos fabricantes de armas imunidade em processos, caso seus produtos acabem matando alguém. Ele disse na segunda-feira que avaliaria o tema novamente, mas sustentou que tentava proteger as pequenas lojas de armas que podem ter acabado inadvertidamente vendendo armas que acabaram usadas em um homicídio.

Na política externa, Hillary disse que seu voto a favor da guerra no Iraque em 2002 foi um erro, mas que ela se saiu bem em muitas outras decisões e que foi convidada a ser secretária de Estado pois o presidente Barack Obama confiava em seus julgamentos. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS