PUBLICIDADE
Notícias

Annie Leibovitz diz que David Bowie 'regeu' sua morte

Fotógrafa está com a exposição "Women: New Portraits" (Mulheres: Novos Retratos) em Londres, onde comentou a morte do artista

19:08 | 13/01/2016
NULL
NULL

A célebre fotógrafa americana Annie Leibovitz afirmou, nesta quarta-feira, 13, que o cantor britânico David Bowie foi um grande criador visual que 'regeu' e cuidou nos mínimos detalhes de sua morte com sua comédia musical e seu último álbum.
"Pelo que entendi, nos últimos 18 meses, ele regeu sua morte, com o musical 'Lazarus' e seu disco", disse a fotógrafa durante a apresentação de uma grande exposição com seus retratos de mulheres em Londres. "Acredito que tenha sido algo extraordinário o que fez como artista; entender que estava morrendo e dedicar-se a essa perspectiva", acrescentou Leibovitz a respeito do cantor falecido no domingo.

[SAIBAMAIS3]"Era um grande criador visual, pude fotografá-lo duas ou três vezes de passagem em sua carreira, mas nunca fizemos uma sessão criativa", afirmou. "Quando alguém desse porte morre, lamento por não haver tido essa oportunidade", acrescentou Leibovitz.

Bowie lançou seu último álbum, "Blackstar", na sexta-feira, 8, dia em que completava 69 anos. Até então, nem o público e nem a imprensa sabiam que estava a ponto de morrer de câncer. No início de dezembro, também estreou na Broadway sua comédia musical "Lazarus".

A exposição "Women: New Portraits" (Mulheres: Novos Retratos), de Leibovitz, estará em cartaz do dia 16 de janeiro a 7 de fevereiro na antiga central elétrica de Wapping, em Londres, e logo viajará a outras nove cidades do mundo, entre elas México e Nova York.

AFP

 

TAGS