PUBLICIDADE
Notícias

Imigrantes protestam em Budapeste após autoridades fecharem estação de trem

09:40 | 01/09/2015
Centenas de imigrantes protestaram na manhã desta terça-feira em Budapeste, capital da Hungria, após autoridades terem fechado a principal estação internacional de trens do país, em um esforço para conter as centenas de imigrantes que tentaram embarcar à Áustria e à Alemanha. A estação ficou fechada por pouco mais de uma hora, mas depois da reabertura, as autoridades não permitiram a entrada dos refugiados.

A polícia isolou a estação de Keleti e todos os serviços foram suspensos temporariamente. Os imigrantes foram cercados por forte esquema de segurança e alguns começaram a gritar "Alemanha, Alemanha!"

Nesta terça-feira, os imigrantes na estação de Keleti foram mantidos longe do público em geral e a polícia fechou a entrada principal. Aos poucos, as autoridades permitiram que outros passageiros utilizassem as portas laterais e o tráfego foi retomado, embora a desorganização ocasionou atrasos e cancelamentos, disse um operador ferroviário da Hungria.

A Áustria, que é a próxima parada dos imigrantes a caminho da Alemanha - onde muitos imigrantes procuram asilo - criticou fortemente a mudança da Hungria em permitir que os imigrantes viajem até a Áustria. Na segunda-feira, as autoridades em Budapeste suspenderam as regras que proibiam os imigrantes de viajarem para os países da União Europeia sem visto.

Muitos desses imigrantes foram para a Alemanha também. Cerca de 1.200 refugiados chegaram em Munique na estação de trem central desde ontem, disse um porta-voz da polícia. Eles foram registrados e levados para centros de acolhimento, disse ele.

A maré de chegadas desesperadas do Oriente Médio e da África colocou pressão especial em estados fronteiriços do bloco, e a Hungria argumenta que está sobrecarregada para seguir os protocolos habituais de registro e recolha de impressões digitais dos requerentes de asilo.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, se reunirá na quinta-feira com o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban.

Os líderes da Espanha e da Alemanha pediram aos países europeus para trabalharem mais em conjunto para estabelecer uma política de asilo e de imigração comum para ajudar a resolver a crise.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disseram que ambos concordaram que uma distribuição justa dos imigrantes é necessária em toda a União Europeia como um primeiro passo para a harmonização das normas sobre imigração e requerentes de asilo.

"A Europa está enfrentando seu maior desafio. Temos que concordar. Nós não podemos simplesmente aceitar esta tragédia humana", disse Rajoy em uma coletiva de imprensa conjunta com Merkel, em Berlim.

A Hungria tentou impedir que os refugiados viajassem sem vistos válidos para os países da União Europeia, onde as fronteiras internas não são patrulhadas em uma base regular. Mas Budapeste mudou de ideia na segunda-feira, permitindo que refugiados viajassem em comboios para Viena e Munique. Eles parados na fronteira devido à superlotação. Alguns passageiros foram orientados a descer do trem.

A Hungria registrou 145 mil requerentes de asilo até agora neste ano, de acordo com o comitê de defesa. Fonte: Associated Press.

TAGS