PUBLICIDADE
Notícias

Turquia bombardeia posições do Estado Islâmico na Síria

17:40 | 29/08/2015
Jatos da Turquia bombardearam pela primeira vez posições do Estado Islâmico na Síria como parte da coalizão liderada pelos Estados Unidos. Os ataques, que começaram na noite de sexta-feira, mostram como o país vem ampliando sua atuação contra o grupo terrorista, que domina boa parte do território da vizinha Síria.

"Nossos aviões de guerra, junto com outros jatos da coalizão, começaram operações aéreas na noite de ontem contra alvos do Estado Islâmico que geram uma ameaça para a segurança do nosso país", disse o Ministério de Relações Exteriores turco. Os EUA vêm tentando convencer a Turquia a aderir à coalizão há quase nove meses. No fim de julho, o país aceitou abrir suas bases aéreas e também utilizar seus jatos após um ataque contra uma cidade na fronteira com a Síria que deixou 34 civis mortos. "Nós elogiamos a Turquia por sua participação das operações contra o Estado Islâmico", afirmou o Pentágono neste sábado.

Além de tentar afastar os terroristas da sua fronteira, a Turquia também pretende estabelecer uma zona livre para os rebeldes sírios que lutam contra o governo do presidente Bashar al-Assad. Segundo informações da imprensa local, os ataques deste sábado foram contra posições do Estado Islâmico na cidade de Alepo, além de outros seis locais não identificados.

O governo turco também vem promovendo ataques contra os rebeldes curdos do grupo PKK, que é considerado uma organização terrorista. A retomada recente das hostilidades no sudeste do país acaba com uma trégua de quase dois anos entre os dois lados. O conflito já deixou mais de 40 mil mortos desde 1984.

As autoridades turcas dizem que quase mil militantes curdos foram mortos desde julho, enquanto 100 soldados e civis também foram vitimados. Políticos pró-curdos, que entraram no Parlamento em junho, pela primeira vez na história moderna da Turquia, acusam o governo de usar os ataques contra o Estado Islâmico como pretexto para recomeçar a guerra com o PKK.

"O ambiente de instabilidade que resulta das batalhas nas fronteiras do sul gera um sério problema de segurança para o país. Estruturas estatais paralelas agindo em conjunto com organizações terroristas estão ameaçando o futuro do nosso país e do nosso povo", disse neste sábado o presidente Recep Tayyip Erdogan. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS