PUBLICIDADE
Notícias

Divergências racham liderança do Pegida

12:33 | 28/01/2015
Porta-voz e mais quatro membros da organização entregam os cargos uma semana depois da renúncia do presidente. Nova liderança será escolhida nos próximos dias. Brigas internas ameaçam a continuidade do movimento Pegida (sigla para "Europeus patriotas contra a islamização do Ocidente"), responsável por protestos contra a "islamização" da Alemanha. Nesta terça-feira (27/01), a porta-voz do grupo, Kathrin Oertel, e mais quatro membros da organização entregaram seus cargos. Segundo a revista Stern, o motivo para as renúncias seriam divergências sobre o papel que o fundador Lutz Bachmann continuaria desempenhando no Pegida. Apesar de ter apresentado sua renúncia à presidência na semana passada, Bachmann ainda estaria ativo dentro do grupo, além de continuar como membro. Bachmann renunciou à liderança depois de a imprensa alemã divulgar uma foto dele imitando Adolf Hitler, além de declarações xenófobas publicadas na página dele no Facebook. Em sua página na internet, o Pegida confirmou a renúncia de Oertel, mas disse se tratar de uma pausa motivada por ameaças e prejuízos profissionais. Bachmann afirmou ao jornal Süddeutsche Zeitung que Oertel estava sendo vítima de ameaças vindas de grupos antifascistas. As divergências vieram à tona durante uma reunião do chamado comitê organizador em Dresden, na noite desta terça-feira. Uma nova liderança deverá ser escolhida nos próximos dias. O comitê organizador é composto por 12 pessoas, a maioria membros fundadores do Pegida. AS/dpa/afp
TAGS