PUBLICIDADE
Notícias

Grécia terá eleições gerais após Parlamento rejeitar candidato à presidência

08:50 | 29/12/2014
O Parlamento da Grécia não conseguiu eleger um presidente na terceira e última votação, o que significa que o país será forçado a convocar eleições antecipadas no início do próximo ano.

A perspectiva de novas eleições renovou os temores sobre os problemas financeiros do país e sua relação com os seus credores internacionais.

Dentre os 300 integrantes do Parlamento, 168 votaram a favor do candidato do governo, o ex-comissário europeu Stavros Dimas. O resultado ficou aquém do limiar de 180 votos necessários. No total, 132 parlamentares votaram contra Dimas.

Dimas não conseguiu reunir mais votos do que na segunda rodada.

De acordo com a Constituição da Grécia, se o Parlamento não eleger um chefe de Estado, o governo tem de ser dissolvido dentro de dez dias e o país deve realizar eleições antecipadas. As eleições estão prevista para acontecer no final de janeiro ou início de fevereiro.

O partido de oposição Syriza, que se pronunciou contra as medidas de austeridade, está liderando as pesquisas de intenção de voto, no entanto não é certo se o grupo poderia reunir apoio suficiente para ganhar uma maioria absoluta no Parlamento.

O governo se reúne hoje e espera-se que as autoridades anunciem a data das eleições. Para a corretora Axia Ventures Group, as eleições antecipadas devem acontecer em 25 de janeiro ou 1º de fevereiro. "De acordo com a Constituição, já que o Parlamento não conseguiu cumprir os requisitos mínimos de 180 votos, ele tem de ser dissolvido em até 10 dias e convocar eleições gerais a serem realizadas dentro de 30 dias", disse a corretora. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS