PUBLICIDADE
Notícias

Bebê nigeriano nascido no mar no Natal comove a Itália

A incrível história de Natal ocorreu enquanto as autoridades italianas anunciavam ter identificado um egípcio de 32 anos como o líder de uma operação de contrabando humano em grande escala

11:42 | 27/12/2014

Um bebê nascido no mar no Natal, depois que sua mãe nigeriana foi resgatada de um barco de imigrantes pela Marinha italiana, foi batizado como Testimony Salvatore, em homenagem aos médicos que o levaram ao mundo.


O menino de dois dias, que pesava 2,7 quilos ao nascer, e sua mãe de 28 anos, estavam se recuperando neste sábado no hospital depois de um parto tranquilo em circunstâncias difíceis, de acordo com a ginecologista que o supervisionou.


Esta incrível história de Natal ocorreu enquanto as autoridades italianas anunciavam ter identificado um egípcio de 32 anos como o líder de uma operação de contrabando humano em grande escala que permitiu enviar pessoas que buscavam asilo e imigrantes através do Mediterrâneo em quantidades sem precedentes em 2014.


Este suposto chefe supremo do tráfico de seres humanos, chamado Ahmed Mohamed Farraq Hanafi, agora é procurado pelas autoridades egípcias a pedido da Itália, indicou o jornal Corriere della Sera.


Este jornal apontou que o indivíduo vive na cidade de Kafr el-Sheikh, no norte do Egito, e foi identificado graças à interceptação de chamadas telefônicas a traficantes que trabalham para ele em barcos que partem para a Líbia.

A hora do parto

 
O pequeno Testimony Salvatore chegou ao mundo 20 minutos antes da meia-noite, em 25 de dezembro, a bordo do barco italiano Etna, quando se dirigia ao porto italiano de Messina.


Esta embarcação acabava de ajudar a resgatar centenas de aspirantes a imigrantes de barcos precários que estavam destinados às costas do sul da Europa.


"A mulher foi ótima", disse a ginecologista Maita Sartori. "Ela fez tudo sozinha, a única coisa que precisei fazer foi ficar ali e supervisionar o trabalho de parto, falando em inglês", acrescentou.


A mãe, cujo nome é Kate, segundo os meios de comunicação italianos, viajava com uma irmã de Testimony de 15 meses e, segundo a imprensa, disse: "Estou muito feliz com o nascimento de meu filho. Eu estava muito assustada, mas no fim tudo correu bem".


Kate declarou aos jornalistas que a família partiu da Nigéria há dois meses e que ela e sua filha embarcaram em um barco na Líbia em 23 de dezembro, deixando seu marido e dois filhos de seis e dez anos na Argélia.


As embarcações italianas resgataram 2.300 pessoas de barcos em dificuldades durante o período de Natal, elevando a quase 170.000 o número de imigrantes do norte da África registrados que chegaram a solo italiano neste ano.


Mais de 80% dos imigrantes partem da Líbia, onde os traficantes podem operar com total impunidade devido ao caos que existe no país. O conflito na Síria e no Iraque e a repressão na Eritreia foram os dois fatores principais por trás do aumento da imigração neste ano.


Os refugiados que embarcam em botes na Líbia pagam milhares de dólares cada um por uma suposta passagem à Europa. No entanto, aparentemente os contrabandistas de seres humanos se limitam a levar os botes a mar aberto e esperar que a carga seja resgatada pela Marinha italiana ou pelos navios mercantes que passam, e que, segundo a lei do mar, são obrigados a responder aos pedidos de ajuda.

AFP
TAGS