PUBLICIDADE
Notícias

Rio Tinto aumenta produção de minério de ferro no 3º tri

23:10 | 14/10/2014
A mineradora anglo-australiana Rio Tinto afirmou que aumentou em 5% a sua produção de minério de ferro no terceiro trimestre do ano na comparação com o trimestre anterior, após expandir sua operação na Austrália, mesmo em face da queda nos preços da commodity. Na comparação anual, a produção entre julho e setembro de 2014 foi 12% maior, totalizando 76,8 milhões de toneladas, informou a empresa.

A Rio Tinto - segunda maior produtora de minério de ferro do mundo, atrás apenas da brasileira Vale - está caminhando para ganhar uma fatia maior do mercado de exportação da commodity, afirmando que o tamanho das suas operações no noroeste remoto da Austrália permitem produzir minério a um custo significativamente mais baixo do que seus concorrentes.

A mineradora, que depende desta mercadoria para realizar a maioria dos seus lucros, defendeu a sua decisão de continuar aumentando a produção, uma estratégia que, segundo analistas, ajudou a puxar o preço do minério de ferro para baixo. Desde janeiro, o preço da commodity já recuou cerca de 40%.

A companhia reiterou nesta quarta-feira as suas expectativas de produzir 295 milhões de toneladas de minério de ferro globalmente neste ano, incluindo a produção resultante das operações no Canadá. Além disso, a Rio Tinto informou que pretende vender cerca de 5 milhões de toneladas a mais a partir de seus próprios estoques.

O aumento da oferta de minério de ferro proveniente das minas australianas, incluindo as controladas pelas concorrentes BHP Billiton e Fortescue Metals, inundaram o mercado de minério de ferro transportado por via marítima neste ano, causando a queda acentuada nos preços.

A Rio Tinto tem expandido suas atividades na região de Pilbara, no noroeste da Austrália, apostando que a China vai continuar precisando de vastas quantidades de minério de ferro para produzir aço para seus arranha-céus e para indústrias, como a de automóveis. A China compra três em cada cinco toneladas de minério de ferro embarcadas por mineradoras multinacionais.

"Se não preenchermos este vazio, alguém mais o fará", disse o executivo-chefe da divisão de minério de ferro da Rio Tinto, Andrew Harding. "É a dura realidade de um mercado internacional muito competitivo", completou.

No seu relatório trimestral, a companhia afirmou que sua produção de cobre foi ligeiramente maior na comparação com o mesmo período do ano passando, aumentando 1%, para 151.800 toneladas. O crescimento foi impulsionado pela produção em Escondida, no Chile, a maior mina de cobre do mundo, de propriedade conjunta com a BHP Billiton num consórcio liderado pela Mitsubishi.

A Rio Tinto afirma que espera produzir mais cobre neste ano fiscal, aumentando sua orientação aos investidores para 615 mil toneladas de cobre extraído, de 585 mil toneladas na previsão anterior. Este números se referem à sua própria cota de cobre extraído, excluindo a participação de parceiros na joint venture.

A companhia anglo-australiana também reportou um declínio de 3% na produção de bauxita, usada para fazer alumínio, na comparação anual, para 10,9 milhões de toneladas no terceiro trimestre. A produção de carvão metalúrgico também recuou 14% na comparação anual, para 1,9 milhão de toneladas, informou a Rio Tinto. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS