PUBLICIDADE
Notícias

NY: bolsas fecham em queda com receios sobre crescimento

18:30 | 07/10/2014
As bolsas de Nova York fecharam com forte queda em meio ao aumento das preocupações com a desaceleração da economia global. Um indicador fraco na Alemanha e um relatório pessimista do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre o crescimento mundial foram alguns dos fatores que pesaram sobre as ações norte-americanas.

O índice Dow Jones caiu 272,52 pontos (1,60%) e fechou aos 16.719,39 pontos, com a maior queda diária desde o fim de julho. O Nasdaq recuou 69,60 pontos (1,56%), para 4.385,20 pontos, e o S&P 500 perdeu 29,72 pontos (1,51%), para 1.935,10 pontos.

Na Europa, a produção industrial da Alemanha caiu 4% em agosto, bem mais que a previsão de recuo de 1,5%, alimentando receios sobre o desempenho da maior economia da região no quarto trimestre deste ano. Embora a economia dos EUA venha se saindo melhor que a da Europa, os investidores temem os efeitos que a desaceleração europeia pode ter sobre grandes empresas norte-americanas, que obtêm boa parte de suas receitas no exterior.

"A Europa tem sido muito relevante para esta queda" das bolsas, afirmou Michael Purves, diretor de pesquisa com derivativos de ações da Weeden & Co. "Muitas grandes companhias têm exposição significativa à zona do euro", disse.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) contribuiu para as preocupações com a economia global ao cortar a projeção de crescimento mundial em 2015 de 4,0% para 3,8%, citando a fragilidade da zona do euro e de grandes mercados emergentes.

A desaceleração global pode ter impacto sobre a política monetária do Federal Reserve, que está se preparando para elevar os juros básicos, enquanto outros bancos centrais - como o Banco Central Europeu (BCE) e o Banco do Japão (BoJ) - estão ampliando os esforços de estímulo monetário para impulsionar suas economias.

Amanhã os investidores voltarão a atenção para a ata da última reunião de política monetária do Fed, que pode oferecer sinais sobre o cronograma do banco central para elevar os juros básicos. Também amanhã começa informalmente a temporada de balanços do terceiro trimestre nos EUA, com os resultados da Alcoa após o fechamento dos mercados.

No noticiário corporativo, as ações da General Motors caíram 5,9%, depois de a montadora anunciar o recall de cerca de 7,6 mil carros, a 75ª chamada apenas neste ano. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS