PUBLICIDADE
Notícias

Multidão protesta contra manifestações de Hong Kong

09:40 | 13/10/2014
Uma multidão contrária aos protestos em favor da democracia em Hong Kong tentou remover barricadas usadas pelos manifestantes e entrou em confronto com a polícia nesta segunda-feira.

Cerca de vinte homens, utilizando máscaras cirúrgicas para esconder suas identidades, tentaram remover as barricadas de metal à força para liberar as ruas próximas ao coração do distrito financeiro de Hong Kong. Alguns deles utilizaram estiletes para cortar os cabos que uniam as barreiras.

Centenas de outros manifestantes rivais, que dizem considerar o protesto de duas semanas ilegal, correram para as barricadas, erguendo os punhos e gritando "abram o caminho!". Motoristas de táxi também se uniram ao novo protesto e alguns deles chegaram a dirigir até às barricadas e buzinar.

Uma linha de policiais impediu o avanço da multidão, mantendo-a separada dos manifestantes do outro lado das barreiras. Após o protesto, a polícia local afirmou ter prendido três dos homens mascarados, com idades entre 18 e 47 anos, sob suspeita de terem realizado ataques e estarem portando armas ilegalmente.

Ainda não há informações sobre quem teria convocado a multidão para o protesto, embora alguns manifestantes acreditem que os homens mascarados sejam ligados à Tríade, uma organização criminosa chinesa. Além disso, nas últimas semanas, surgiram alegações de que pessoas estariam sendo pagas para atrapalhar os protestos.

A polícia afirmou nesta segunda-feira que continuará a guardar a área onde estão os manifestantes e alertou que qualquer um que os desafiar poderá ser preso. Dezenas de milhares de pessoas ocupam ruas próximas à sede do governo de Hong Kong desde o dia 28 de setembro, em luta para garantir as eleições diretas para o território semiautônomo em 2017.

Outra reivindicação é a saída de Leung Chun-ying, chefe do executivo em Hong Kong. Em evento em Guangzhou, uma cidade no sul da China, Leung afirmou que não irá renunciar e que as autoridades têm lidado com as manifestações com "um grande nível de tolerância". Questionado se os policiais iriam agir para encerrar os protestos, Leung se esquivou. "Não podemos deixar que essa situação continue no longo prazo". Fonte: Associated Press.

TAGS