PUBLICIDADE
Notícias

Mortos após erupção do Monte Ontake sobem para 47

11:00 | 01/10/2014
Um dos corpos recuperados perto do cume do vulcão do Monte Ontake estava de cócoras e deve de ser retirado de uma espessa camada de cinzas. Outro foi encontrado em meio a pedras maiores do que geladeiras. Os policiais que resgataram os corpos nesta quarta-feira descreveram uma dolorosa cena de morte ao redor do pico da montanha, onde

montanhistas desfrutavam de uma caminhada de final de semana quando foram surpreendidos por uma erupção.

O número de mortos da erupção de sábado na região central do Japão subiu para 47 após as buscas desta quarta-feira, informou a polícia de Nagano em comunicado. Integrantes das equipes de resgate usaram máscaras cirúrgicas, capacetes e instrumentos para medir a toxicidade dos gases para se certificarem que era seguro permanecer nas encostas. A polícia pediu desculpas por dizer anteriormente que o número de mortos era de 48, citando um erro de contagem.

O número de mortos é o pior da história do pós-guerra, superando os 43 mortos da erupção do Monte Unzen, no sul do Japão, em 1991.

Helicópteros das Forças Terrestres de Autodefesa levaram os corpos para o pé do Monte Ontake, conhecido como uma das 100 melhores do país, em cujo cume há um tempo que atrai muitos visitantes. Autoridades municipais e policiais disseram a que a maior parte dos corpos foi encontrada na proximidades do topo, onde muitas pessoas estavam descansando ou almoçando na hora da erupção. Outras vítimas foram achadas num local um pouco mais abaixo, onde não havia locais para abrigo.

O líder da unidade policial de Nagano, Mamoru Yamazaki, descreveu a cena do resgate como "muito grave". Seu grupo, parte das centenas de integrantes de equipes de resgate enviados para o local nesta quarta-feira, encontrou alguns dos corpos do lado de fora de um alojamento um pouco abaixo do templo e numa trilha que leva a área.

As equipes de resgate usaram uma máquina de corte especial para retirar um corpo preso entre duas pedras enormes, afirmou ele. Outros quatro corpos foram retirados de fendas entre as rochas.

Muitas das vítimas estavam com os corpos enterrados pela metade nas cinzas, enquanto outras estavam ainda mais encobertas. Algumas estavam encurvadas, com o rosto na direção da cratera para proteger a cabeça de pedras que caíam, enquanto cobriam o rosto para evitar as cinzas e os gases, disse Yamazaki.

Segundo ele, as equipes de resgate retiraram todos os corpos que estavam visíveis o que indica que, se houver desaparecidos, são poucos. As autoridades não divulgaram atualizações do número de desaparecidos por causa de informações iniciais conflitantes. Fonte: Associated Press.

TAGS