PUBLICIDADE
Notícias

Suecos vão às urnas e podem definir mudança de poder

10:20 | 14/09/2014
As urnas das eleições parlamentares da Suécia foram abertas neste domingo com as pesquisas indicando o retorno dos sociais-democratas ao poder, depois oito anos de governo de centro-direita.

Este seria um retorno à normalidade na política sueca, porque o sociais democratas, que construíram o famoso estado de bem-estar social do país, não estiveram na

oposição por muito tempo, desde a primeira vez que conquistaram o poder, em 1920.

O primeiro-ministro Fredrik Reinfeldt, que assumiu o cargo em 2006, é o mais antigo líder conservador na história da Suécia. Embora tenha ganhado elogios internacionalmente por ter conduzido a economia da Suécia em relativa boa forma ao longo da crise da dívida da Europa, muitos suecos se preocupam que suas políticas pró-mercado possam ter minado o sistema de bem-estar.

O governo de centro-direita de Reinfeldt cortou impostos corporativos e de renda, aboliu um imposto sobre a riqueza e reduziu benefícios sociais. Também aliviou as leis trabalhistas e privatizou empresas estatais, incluindo a fabricante de vodca

Absolut.

Enquanto isso, a discrepância entre ricos e pobres cresceu mais rápido na Suécia do que na maioria dos países desenvolvidos, embora o país permaneça entre os mais igualitários do mundo, de acordo com a Organização para a Cooperação Econômica e

Desenvolvimento.

As urnas foram abertas às 8 horas, horário local, e devem ser fechadas 12 horas mais tarde.

Mesmo que a diferença tenha reduzido nas últimas semanas, pesquisas eleitorais mostraram o bloco de oposição encabeçado pelo líder social-democrata Stefan Löfven com um clara vantagem sobre a coalizão de Reinfeldt. "Temos de esperar pelos resultados finais desta noite. Mas temos uma boa oportunidade", disse Löfven, depois de votar, em Estocolmo.

Reinfeldt, de 49 anos, se recusou a perder a esperança. "Reduzimos a diferença. Fizemos uma tremenda campanha e mostramos que estamos prontos para mais quatro anos", disse Reinfeldt. Fonte: Associated Press

TAGS