Participamos do

Alta Comissária da ONU acusa Estado Islâmico de "limpeza étnica e religiosa"

O Iraque é cenário desde 9 de junho de uma ofensiva de jihadistas sunitas do EI, que ocupam várias regiões do norte do país
09:12 | Ago. 25, 2014
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, acusou os jihadistas do Estado Islâmico (EI) de promover uma "limpeza étnica e religiosa" no Iraque e pediu o julgamento dos responsáveis por possíveis crimes contra a humanidade.

"O Estado Islâmico (EI) e os grupos armados associados cometem a cada dia graves e horríveis violações dos direitos humanos. Atacam sistematicamente homens, mulheres e crianças em função de sua origem étnica, religiosa ou sectária, e realizam uma limpeza étnica e religiosa sem piedade nas regiões que controlam", afirma Pillay em um comunicado.

"Tais atos poderiam constituir crimes contra a humanidade", completa a nota, que condena as "violações sistemáticas e generalizadas dos direitos humanos".

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Apelo à comunidade internacional que assegure que os autores destes crimes odiosos não fiquem impunes", insiste Pillay.

O Iraque é cenário desde 9 de junho de uma ofensiva de jihadistas sunitas do EI, que ocupam várias regiões do norte do país.
                                                                                                                 AFP

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente