PUBLICIDADE
Notícias

+ Ucrânia acusa separatistas russos de derrubarem avião +

13:59 | 17/07/2014
Avião da Malaysia Airlines partindo de Amsterdã com destino a Kuala Lampur, com quase 300 pessoas a bordo, caiu quando sobrevoava o Leste da Ucrânia. Acompanhe aqui as últimas atualizações sobre o caso. Um avião da Malaysia Airlines, que partiu de Amsterdã com destino a Kuala Lampur, perdeu contato nesta quinta-feira (17/07) quando sobrevoava o Leste da Ucrânia. Acompanhe aqui as últimas atualizações sobre o caso (no horário de Brasília). 15h10 - O presidente russo, Vladimir Putin, ofecereu suas "profundas condolências" ao primeiro-ministro malaio, Najib Razak, sobre o acidente com o avião da Malaysia Airlines na Ucrânia. 14h53 - O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, acredita que separatistas pró-Rússia teriam abatido o Boeing 777 da Malaysia Airlines, e qualificou o ato como "ato terrorista", escreveu o porta-voz Svyatoslav Tsegolko no Twitter. "Este incidente não é uma catástrofe. É um ato terrorista." 14h50 - O ministro do Interior da Ucrânia, Zoryan Shkyryak, disse que a queda do avião da Malaysia Airlines deixou mais de 300 mortos. Entre eles, 22 cidadãos dos Estados Unidos. A informação é da agência russa Interfax. Antes, a companhia aérea havia informado que 295 pessoas estavam a bordo. 14h46 - O comentário de um comandante da autoproclamada "República Popular de Donetsk" numa rede social sugere que os separatistas teriam acertado a aeronave da Malaysia Airlines por engano ao acreditarem que se tratava de um grande avião de transporte do exército ucraniano. "Nós tínhamos alertado (as forças armadas ucranianas) para não voarem em nossos céus", teria afirmado o comandante, de acordo com a agência de notícias AFP. 14h29 - A França pediu que as companhias aéreas do país evitem o espaço aéreo ucraniano, após o desastre com a aeronave da Malaysia Airlines. Segundo o ministro-adjunto dos Transportes, Frederic Cuvillier, as empresas aéreas devem evitar o espaço aéreo ucraniano "até que as razões por trás da catástrofe sejam conhecidas." 14h15 - Tanto o governo ucraniano quanto os separatistas pró-Rússia negaram terem abatido o avião. 14h00 - Por telefone, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, informou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre a queda do avião. 13h54 - Por enquanto, sabe-se que o avião caiu em algum ponto próximo à fronteira da Ucrânia com a Rússia. O Boeing 777 da Malaysia Airlines estaria levando quase 300 passageiros. As especulações, até aqui não confirmadas, são se que a aeronave teria sido abatida. 13h52 -Pelo Twitter, circulam fotos de supostos destroços do avião. 13h30 - "Nós não descartamos que esse avião tenha caído", disse o presidente ucraniano. 13h25 - O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, garantiu que o Exército de seu país não fez qualquer disparo na região onde o avião teria caído. Ele nega qualquer alegação de que a Ucrânia tenha derrubado o Boeing da Malaysia Airlines, mas não descarta que o voo realmente tenha sido atingido. 13h20 - A agência Interfax diz que o avião caiu a cerca de 30 quilômetros da fronteira russa. 13h10 - A aeronave desaparecida é um Boeing 777. O avião é do mesmo tipo e da mesma empresa, a Malaysia Airlines, do voo MH370, que desapareceu em março no mar e até hoje não foi encontrado. 13h06 - Segundo a agência de notícias Reuters, que cita um funcionário do Ministério do Interior ucraniano, o avião foi derrubado por um míssel disparado por militantes pró-Rússia. Não há, porém, qualquer confirmação oficial. 13h05 - Segundo a agência de notícias AFP, o presidente da Ucrânia admitiu a possibilidade de que a aeronave foi derrubada. 13h00 - Segundo a agência russa Interfax o avião, com 295 pessoas a bordo, caiu perto da frontreira com a Rússia. 12h55 - A única informação oficial divulgada até agora, pela Malaysia Airlines, é de que o avião está desaparecido. A empresa diz ter perdido contato com a aeronave quando ela sobrevoava a Ucrânia.

TAGS