PUBLICIDADE
Notícias

Obama pode amenizar crise sobre crianças na fronteira

17:00 | 13/07/2014
O presidente Barack Obama poderia adotar medidas para aliviar a crise causada pelo crescimento no número de crianças desacompanhadas atravessando a fronteira no sul dos Estados Unidos, sem aguardar as discussões sobre o assunto no Congresso. A argumentação é de legisladores, um democrata e outro republicano, que ocupam posição de liderança no Congresso.

O debate envolve a legislação de 2008 sobre o tráfico humano e o destino de jovens imigrantes de países que não fazem fronteira com os Estados Unidos que está nas mãos de juízes de imigração. A administração Obama expressou interesse em questionar o Congresso por uma mudança na lei de modo que a administração tenha maior participação nas decisões relacionadas à crise. Alguns casos podem levar anos para serem resolvidas nas cortes de imigração.

O republicano Mike Rogers, presidente do Comitê de Inteligência do Senado, disse neste domingo que o Congresso pode não ter de realizar mudanças gerais na legislação e que Obama tem autoridade para levar as crianças de volta para seus países de origem. Desde outubro, mais de 57 mil crianças, a maior parte de Honduras, El Salvador e Guatemala, atravessaram a fronteira com o México sem estarem acompanhadas de seus pais.

Obama "tem instrumentos em sua caixa de ferramentas" para resolver rapidamente o que a maior parte das autoridades dizem se transformou em uma crise humanitária, e para evitar que mais crianças venham para os Estados Unidos", disse Rogers. "Podemos levá-las em segurança de volta para casa", acrescentou Rogers em entrevista na TV NBC.

A senadora democrata Dianne Feinstein, autora de uma emenda na legislação que trata do tráfico de pessoas, disse que uma mudança na regulamentação, e não na lei, pode acelerar a volta das crianças a seus países.

A lei atual já permite que os departamentos de Segurança Interna e Saúde e dos Serviços Humanitários escrevam regulamentações para lidar com "circunstâncias excepcionais", de modo que possam devolver mais rapidamente as crianças a seus países de origem, disse Feinstein.

Obama disse que US$ 3,7 bilhões em gastos emergenciais ajudariam o governo a lidar com o grande número de crianças desacompanhadas atravessando a fronteira no Texas do Sul. Parte do dinheiro seria destinado a financiar cerca de 40 equipes adicionais nos juizados de imigração.

As cortes de imigração federal tem mais de 375 mil casos em análise, os quais podem levar vários anos para terem uma sentença final. Os republicanos criticaram o pedido de recursos emergenciais de Obama argumentando que precisa tomar mais medidas de segurança na fronteira e para parar a imigração de crianças.

TAGS