PUBLICIDADE
Notícias

Israel detém 6 suspeitos por morte de adolescente

19:20 | 06/07/2014
A polícia de Israel prendeu seis judeus suspeitos de participarem do sequestro de um adolescente palestino, de 16 anos, que queimado vivo na semana passada. O crime desencadeou uma onda de protestos violentos em regiões árabes no país.

Os líderes do Estado Judeu pediram calma em meio a sinais de que a morte do adolescente foi uma vinganças pelas mortes de três jovens israelenses ocorridas recentemente. "Nós não permitiremos que extremistas, não importa de qual lado, inflamem a região e causem derramamento de sangue", afirmou o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em um comunicado televisionado nacionalmente. "Assassinato é assassinato, incitação é incitação, e nós responderemos agressivamente aos dois." Netanyahu prometeu processar os responsáveis.

Abu Khdeir foi sequestrado em frente de casa, na zona leste de Jerusalém, na última quarta-feira (02), e seu corpo carbonizado foi encontrado depois em um bosque da cidade. Palestinos imediatamente acusaram extremistas judeus pelo assassinato, que seria uma vingança pela morte de três jovens israelenses em Hebron dias antes.

A polícia tem investigado diversos motivos para a morte de Abu Khdeir, incluindo roubo ou crime passional, mas autoridades disseram neste domingo que acreditam agora em razões nacionalísticas para o assassinato. Os suspeitos presos neste domingo foram descritos como homens jovens, alguns menores de idade, de Jerusalém e das cidades de Beit Shemesh e Adam.

As autoridades também localizaram um carro utilizado pelos suspeitos e recolheram imagens de câmeras de segurança que mostrariam parte da ação dos jovens, mas que não ajudaram muito nas investigações.

A morte de Abu Khdeir desencadeou protestos violentos no leste de Jerusalém, com os manifestantes depredando estações de trem, bloqueando ruas e entrando em confronto com a polícia. A confusão se espalhou para outras áreas de maioria árabe no norte de Israel neste fim de semana. Fonte: Associated Press.

TAGS