PUBLICIDADE
Notícias

Felipão diz que não mudaria nada na preparação do Brasil para a Copa

Em entrevista, o técnico afirmou que foi convocado bons jogadores e que não adianta agora ficar "batendo" e criticando

16:38 | 09/07/2014

No dia seguinte à derrota de 7 a 1 sofrida pelo Brasil para a Alemanha, pelas semifinais da Copa do Mundo, a comissão técnica da seleção concedeu uma entrevista coletiva na Granja Comary, onde o técnico Luiz Felipe Scolari garantiu que não mudaria nada na preparação da equipe.

 "Eu não mudaria nada. Nós convocamos bons jogadores que chegaram entre os quatro melhores do mundo. Não adianta agora ficar batendo e criticando, é um resultado que não vai acontecer de novo", argumentou Felipão, ao lado de toda a comissão técnica do Brasil.

 Como na coletiva após a partida de terça-feira, os jornalistas voltaram a questionar se Felipão deixaria o cargo após a histórica derrota, algo em que o técnico só vai começar a pensar após a disputa do terceiro lugar, no sábado em Brasília, contra o perdedor da semifinal entre Holanda e Argentina.

 "Combinamos com a CBF, temos um planejamento, nos deram todas as condições de trabalho. Nós temos um compromisso com a CBF até o final do Mundial, que agora passa a ser depois do jogo de sábado. Vamos discutir o futuro depois da partida. Vamos conversar, dar o relatório do que foi feito, de como foi feito. Depois disso, vamos definir alguma coisa e isso passa naturalmente pela direção da CBF", explicou o técnico.

 Felipão voltou a admitir que o resultado da partida "foi catastrófico", mas fez questão de lembrar "que o Brasil chegou às semifinais pela primeira vez desde o Mundial de 2002".

 O técnico tentou justificar a escalação do atacante Bernard para a vaga de Neymar. O jogador do Shakhtar Donetsk havia treinado com a equipe titular apenas durante 10 minutos do último treino antes da partida. Contra os alemães, o pequeno atacante teve péssima atuação.

 "Eu treinei o time em 28 jogos, e o Bernard participou no mínimo de 20. Ele sabia muito bem como ia jogar e tinha qualidade para isso", disse Felipão.

 Ao ser questionado sobre a possibilidade de mudar a equipe para a decisão do terceiro lugar neste sábado, Felipão afirmou que a escalação dependerá do adversário. "Vamos analisar a partir da reunião desta tarde e veremos as condições dos jogadores, depois decidirei. Coloco em campo a equipe que perdeu ontem? Ou coloco uma equipe para poder observar outros jogadores? É algo que vamos estudar em grupo", concluiu.

 O Coordenador Técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, que participou da coletiva junto com outros membros da comissão, pediu calma para que o resultado da partida não fosse examinado apenas pelo placar e elogiou a Alemanha, que vem colhendo os frutos de um planejamento muito bem executado.

 "A gente está muito mal acostumado a examinar apenas os resultados. Neste momento, o resultado impacta muito qualquer julgamento, qualquer pensamento. Mas é muito claro que os europeus se prepararam para organizar seu futebol, melhorar o nível dos treinadores, melhorar o nível de assistência aos jogadores, melhorar a formação dos jogadores. Nós (CBF) não formamos jogadores, recebemos os jogadores prontos e montamos equipes para participar de competições. Temos que investir na formação de treinadores e jogadores", analisou Parreira.

 "A vergonha nesse momento é muito grande, mas vamos mais uma vez dar a volta por cima, não tenho nenhuma dúvida disso", concluiu o técnico do tetracampeonato.

AFP

TAGS