PUBLICIDADE
Notícias

Exército ucraniano retoma mais cidades no leste do país e ruma para Donetsk

16:44 | 06/07/2014
Após perderem Slaviansk, separatistas pró-russos se retiram de outras regiões da Ucrânia. Rússia apela para que conversações de paz sejam reiniciadas, enquanto Kiev comemora "virada" da situação. O ministro do Exterior da Rússia, Serguei Lavrov, exigiu neste domingo (06/07) que as partes em conflito na Ucrânia iniciem imediatamente conversações de paz, enquanto o Exército ucraniano segue avançando contra os separatistas pró-Moscou no leste do país. Após ter recuperado o controle de Slaviansk no dia anterior, as tropas de Kiev já conseguiram retomar outras cidades e seguem agora em direção a Donetsk. Em conversa telefônica com seu homólogo da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, Lavrov considerou que as conversações devem visar um novo acordo de cessar-fogo. Além disso, ele disse ser "extremamente preocupante" que as negociações com os separatistas, anunciadas recentemente pelo ministro do Exterior ucraniano, Pavel Klimkin, ainda não tenham sido iniciadas. O ministro do Exterior russo assegurou, através de comunicado, que a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) mantém sua disposição de mediar as conversações para resolver a crise ucraniana. O telefonema entre Lavrov e Steinmeier teve também a participação do ministro do Exterior da França, Laurent Fabius. O governo em Kiev reagiu ao apelo russo de forma reservada, embora se diga ainda disposto a negociar sobre uma vigilância das fronteiras por parte de observadores da OSCE. "Quanto às negociações, só podemos conversar agora sobre um desarme incondicional dos combatentes e da libertação dos prisioneiros", afirmou Andrei Lyssenko, do Conselho de Segurança Nacional ucraniano. A caminho de Donetsk e Lugansk No sábado, o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, descreveu os últimos acontecimentos no leste do país como uma "virada", após a retomada, pelo Exército, da cidade de Slaviansk, bastião dos separatistas na região de Donetsk. A tomada do lugar está sendo comemorada por Kiev como o maior sucesso da "operação antiterrorista" lançada pelo governo contra os separatistas no leste da Ucrânia. As forças pró-russas abandonaram também Kramatorsk e Nikolayevka, segundo o líder separatista Igor Girkin. Girkin admitiu que a "defesa popular" não conseguiu manter suas posições ante o avanço das tropas do governo. O líder dos separatistas informou ainda que as forças rebeldes irão se concentrar em Donetsk, onde entraram com tanques e veículos blindados. As forças do Exército ucraniano agora também marcham em direção ao local, onde já ocorreram algumas batalhas neste domingo, nos arredores da cidade. O Exército ucraniano pretende agora promover um cerco às metrópoles Donetsk e Lugansk no intuito de forçar a rendição dos separatistas. "O plano estratégico do presidente Petro Poroshenko é o bloqueio completo desses lugares, até a capitulação dos bandidos", afirmou o ministro da Defesa ucraniano, Mikhail Koval. MD/dpa/afp

TAGS